MULHERES ASSASSINADAS EM PERNAMBUCO, ANO DE 2018 – 241 mortes e apenas 4 homicídios julgados

 FEMIA impunidade é a maior de todas as dores. E a principal marca do assassinato de mulheres em Pernambuco.

Texto CIARA CARVALHO Jornal do Commercio  – ciaracalves@gmail.com

Nas primeiras horas de 2018, Elizabete de Lima, 36 anos, perdia a filha morta barbaramente a golpes de faca pelo namorado. Sibelly Carla de Lima Silva tinha apenas 14 anos.

Foi a primeira mulher assassinada em Pernambuco e a primeira vítima de feminicídio do ano que, então, começava. 2018 se encerrou sem que a família de Sibelly visse a Justiça ser feita. O acusado, preso dias depois, tentou até se aproveitar da demora no andamento do processo. Pediu ao Judiciário para ser solto, alegando “excesso de prazo para formação da culpa”. A defesa foi direto ao ponto: “O réu se encontra preso há cerca de 11 meses sem que a fase de instrução tenha sido encerrada”. O pedido foi negado. Mas a resposta para os familiares da adolescente ainda não veio. Nem para o assassinato de Sibelly nem para o de outras 236 mulheres mortas no Estado no ano passado. A estatística é estarrecedora: dos 241 crimes contabilizados pelo Projeto #UmaPorUma, ao longo de 2018, apenas quatro homicídios tiveram um desfecho, com a condenação dos acusados. Quatro julgamentos. Não chega a 2% dos casos.

Diante do desafio de compreender por que e como as mulheres estão morrendo em Pernambuco, o coletivo de jornalistas do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação à frente do #UmaPorUma seguiu a trilha de cada assassinato. Durante um ano, acompanhou a investigação de todos os homicídios, cobrando da polícia não só a identificação de quem as matou, como a motivação do crime, a prisão e a punição dos assassinos. Quase um terço dos casos (73) permanece com os inquéritos em aberto. A maior parte das investigações sem solução na fase policial envolve situações que apresentam alguma relação direta ou indireta com o tráfico de drogas, além de circunstâncias em que o medo de sofrer represálias, a falta de testemunhas e de indícios na cena do crime dificultam a investigação.

Mas não é esse o padrão de morte de mulheres em Pernambuco. O balanço final do levantamento revela que o assassinato determinado pela condição de gênero é, de longe, o maior desafio dos órgãos de segurança e Justiça do Estado para deter a morte de mulheres. Porque vai além da violência urbana. É crime de posse. O recado é claro: não basta matar. É preciso humilhar e subjugar a mulher, destruindo o seu corpo, na maioria das vezes, de forma brutal.

Entre os crimes com motivação previamente definida, o feminicídio se consolidou como a principal causa de assassinatos no Estado para as vítimas do sexo feminino em 2018. Foram 83 casos registrados, o que representa 34% do total de homicídios contabilizados. O percentual é o somatório dos indiciamentos feitos pela Polícia Civil (após a conclusão do inquérito) mais as denúncias oferecidas à Justiça pelo Ministério Público de Pernambuco. E o número pode ser ainda maior. Já que em 20% dos assassinatos sequer a motivação dos crimes foi esclarecida pela polícia.

A face cruel da misoginia chamou a atenção do juiz Abner Apolinário da Silva. Na sentença que condenou a 23 anos de prisão o assassino de Ivoneide Pereira das Montanhas, 50 anos, um dos quatro homicídios de 2018 que tiveram conclusão na Justiça, o magistrado foi categórico: “O crime contra a vida da mulher, pelo fato de ser do sexo feminino, é ‘cultura’ que dilacera direitos, reduz a mulher a um nada humano, coisificando-a como troféu abominável do machismo.” Ivoneide foi assassinada no Recife, após ter relações sexuais com o agressor. Vítima e assassino eram moradores de rua. Imagens de câmaras mostraram que, após o sexo, o acusado começou a agredi-la. Quando a mulher já estava caída, o criminoso usou uma pedra para terminar de matá-la.

O caso de Ivoneide não escancara apenas a letalidade do machismo. É também exemplar para expor um dos maiores entraves no enfrentamento desse tipo de violência. A condenação do assassino da moradora de rua pelo crime de feminicídio só foi possível porque o Ministério Público mudou o entendimento do inquérito. A conclusão da investigação policial tinha apontado como motivação do assassinato uma discussão. Como uma outra qualquer. Não se trata de um caso isolado. A subjetividade que ainda prevalece nas investigações de assassinatos envolvendo vítimas mulheres pode ser medida de forma concreta. Seus efeitos nocivos também.

O monitoramento feito pelo projeto #UmaPorUma contabilizou oito casos de feminicídio a mais do que o número oficial da Secretaria de Defesa Social, que encerrou o ano com 75 registros. Em todos os casos com motivação distinta, coube ao Ministério Público incluir o feminicídio em inquéritos recebidos da Polícia Civil nos quais a qualificadora tinha ficado de fora. A diferença entre as estatísticas ocorre justamente porque cada integrante do sistema de segurança – Polícia Civil, Ministério Público e Judiciário – tem autonomia e competência institucional para decidir pela inclusão ou não da qualificadora de feminicídio. Na prática, o que termina valendo é o entendimento do delegado, do promotor e do juiz.

O assassinato de Diana Regis Barbosa Ferreira, 50, é outro que coloca o dedo na ferida. Quando a polícia entrou na pequena casa sem número na Comunidade do Chié, bairro do Ipsep, Zona Sul do Recife, encontrou o corpo da mulher de joelhos, vestido apenas de calcinha e amarrado pelo pescoço a um lençol preso ao telhado. Com uma investigação tumultuada, o inquérito já passou pelas mãos de três delegados e teve a investigação recusada pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Após ser descartada a hipótese de suicídio, a principal linha de apuração passou a ser feminicídio. Com a mudança de delegado, o inquérito terminou sendo encerrado como homicídio (sem a qualificadora), embora a explicação dada pela própria polícia fosse claramente a descrição de um crime de gênero: “(O suspeito) não queria que ela se envolvesse com outro homem. Não foi porque ela era mulher e assim quis rebaixá-la, dominá-la, acabar com sua vida. A motivação ‘ciúmes’ pode se encaixar em outra qualificadora de homicídio, a exemplo do motivo fútil”, afirmou, na época, a delegada responsável pela conclusão do inquérito. Agora, o MPPE devolveu o caso à polícia, solicitando mais investigações e provas conclusivas.

Dez meses após o assassinato, a morte de Diana segue sem solução. Durante esses dez meses, o projeto acompanhou as idas e vindas do inquérito. Vai continuar acompanhando. Até que a morte de Diana tenha um desfecho e o assassino seja preso e condenado. Não só o processo dela. Mas o de todas as mulheres assassinadas no ano passado. Uma por uma. Conclusão do inquérito pela Políca Civil, denúncia do Ministério Público, julgamento pela Justiça. Com a finalização desta etapa do projeto, o que se encerra apenas é a contagem dos novos homicídios ocorridos este ano. 2018 ainda tem muito a ensinar e a jogar luzes sobre a matança de mulheres em Pernambuco.

UPTOWN BLUES BAND & FRIENDS! – Melhor Banda de Blues de 2018 no Brasil,

gionanni 3Mais uma vez, dando nossa parcela de contribuição para difundir e fortalecer o Blues no Nordeste do Brasil

 

 

 

uptEm 1997 a Uptown Blues Band deu início à criação da cena de Blues de Pernambuco.

Em parceria com o Downtown Pub foi criado o primeiro festival do gênero na nossa cidade: Recife Blues Festival. Depois desbravamos o Nordeste levando, de forma pioneira, shows nacionais e internacionais de Blues para 7 Capitais do nordeste durante 10 anos, incluindo a nossa região no seleto circuito de grandes shows de Blues que antes só aconteciam no Sul do país. Foi o lendário Oi Blues By Night.

Em 2007 lançamos o primeiro CD autoral de uma banda de Blues de Pernambuco: Do Mississipi ao Capibaribe, que transita entre os ritmos nordestinos e do Blues norte-americano, mostrando a origem comum entre eles.

Depois criamos alguns dos principais festivais de Jazz & Blues do Brasil: Garanhuns Jazz Festival, Gravatá Jazz Festival, RioMar Jazz Fest, Jazz Porto e Recife Blues & Jazz Festival.

Em 2018 fomos eleitos pelo Prêmio Profissionais da Música como a melhor Banda de Blues de 2018 no Brasil, comprovando que o Nordeste também produz Blues de qualidade.

Agora, em dezembro de 2018 lançamos, no Teatro RioMar, nosso projeto mais ousado: o disco Uptown Blues Band & Friends, disco autoral, com a maior parte do repertório em português, que reúne de maneira inédita mais de 45 grandes músicos de Jazz, Rock e Blues que fizeram parceria com a Uptown nesses 21 anos de estrada.

Graças ao fundamental apoio nos nossos amigos e empresas parceiras, que nos apoiaram para realizar o projeto de gravação e lançamento do nosso CD, atingimos nosso objetivo: entregamos ao nosso público um disco de formato inovador e um extraordinário show de lançamento.

Este show contou com a participação de artistas convidados da nossa cidade e vindos de São Paulo e do Rio, como Derico, George Israel e Lancaster, e teve os ingressos esgotados no Teatro RioMar!

Estamos, mais uma vez, dando nossa parcela de contribuição para difundir e fortalecer o Blues no Nordeste do Brasil, sempre mesclando esta magnifica arte norte-americana com nossos ritmos regionais, como o maracatu e o baião, de maneira a valorizar nossa cultura e nossa gente.

Nosso muito obrigado a todos que tornaram esse sonho uma realidade!

THE BLUES IS ALRIGHT!

Inscrições do curso Técnico em Agronegócio até esta quinta-feira (14)

O curso é gratuito e está com vagas limitadas para o Recife e interior do Estado

 O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco (Senar/PE) encerrará as inscrições para o processo seletivo do curso gratuito de Técnico em Agronegócio na próxima quinta-feira (14).

O edital prevê a liberação de 60 vagas, sendo 30 para o polo de Recife e mais 30 para o polo de Bezerros. As inscrições devem ser realizadas no portal http://etec.senar.org.br/inscricoes/.

No ato da inscrição, o candidato deverá anexar seu histórico escolar e indicar o polo de ensino para participar das aulas presenciais. É importante que os candidatos leiam o edital atentamente, pois o sistema aceita somente uma inscrição por CPF e não permite alterações após o envio dos dados.

O resultado dos aprovados na primeira fase deve ser divulgado até o dia 18 de fevereiro, no site http://senar-pe.com.br/ . Em seguida, o critério de classificação será por entrevistas, realizadas entre os dias 20 e 25 de fevereiro, nos polos escolhidos. O início das aulas está previsto para o dia 08 de março.

O curso

Na modalidade semipresencial, o curso tem carga horária de 1.230 horas e está dividido da seguinte forma: 80% é feito a distância e 20% com aulas presenciais, no polo escolhido pelo candidato aprovado.

Durante a formação, o participante estudará técnicas de gestão, de comercialização, e aprenderá como atuar na execução de procedimentos para planejar e auxiliar na organização e controle das atividades do agronegócio.

De acordo com o superintende do Senar/PE, Adriano Moraes, o curso é totalmente gratuito e certificado pelo Ministério da Educação (MEC).

Para mais informações, entre em contato com coordenação de Treinamentos do Senar/PE: (81) 3312.8966, de segunda a sexta, das 8h às 18h (horário local).

__________________________________

Marina Lima
Assessora de Comunicação e Eventos
Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco – Senar/PE 
Email: marinalima87@gmail.com |Fone: (81) 3312.8950 | 99991.0039
www.senar-pe.com.br

 

Centro Cultural Cais do Sertão, no Cais do Porto do Recife, promove oficinas de Carnaval

Neste domingo 10, e no dia 24, crianças e jovens vão aprender a fazer a máscara dos caretas e uma maquiagem especial para a folia

Peu Hatz - Setur PE

O domingo (10) promete ser de muito lazer e cultura para a garotada na Oficina de Máscaras dos Caretas de Triunfo, promovida pelo Centro Cultural Cais do Sertão, no Bairro do Recife.

Durante a oficina, o público infantil entrará em contato com uma das manifestações mais importantes do Carnaval pernambucano, identificada pelo uso de uma máscara, adornada com muitos enfeites.

A garotada será incentivada a produzir o seu próprio adereço, além de aprender um pouco da história do personagem.

Símbolo do Carnaval no Sertão, os caretas esbanjam alegria pelo município de Triunfo há mais de 100 anos.

Surgida em 1917, a brincadeira consiste em andar fantasiado pelas ruas estralando o relho, uma espécie de chicote de couro, que é batido no chão, produzindo muito barulho.

“Atividades lúdicas relacionadas ao nosso Carnaval são fundamentais para que, desde cedo, as crianças saibam o valor da cultura popular.

Trazer uma tradição da folia de Triunfo para nosso museu ajuda cada vez mais a propagar a diversidade desta festa tão plural e rica de nosso Estado”, pontuou o gestor do Centro Cultural Cais do Sertão, Antônio Mendes.

A oficina deste domingo será ministrada na Sala do Todo Gonzaga por dois educadores, das 15h às 16h30, e até 15 crianças ou adolescentes poderão participar.

Serão utilizados materiais como papel, hidrocor, fitas, cola e tecido. Ao final do evento, cada participante poderá levar sua máscara para casa.

A inscrição pode ser feita na recepção do museu e a taxa de entrada custa R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada) e dá direito à visita ao museu.

SEMANA PRÉ-CARNAVALESCA

O Centro Cultural Cais do Sertão tem programação garantida também para o último domingo antes da folia de Momo.

No dia 24 de fevereiro, das 15h às 16h30, a Sala Todo Gonzaga recebe uma Oficina de Maquiagem.

O responsável por ensinar aos participantes será Perácio Amorim, produtor que anualmente prepara as coreografias e a make do Rei e da Rainha do Carnaval.

Serviço:

Oficina de Máscaras dos Caretas de Triunfo. Domingo, 10 de fevereiro, das 15h às 16h30, na Sala do Todo Gonzaga. Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)
Oficina de Maquiagem de Carnaval. Domingo, 24 de fevereiro, das 15h às 16h30, na Sala do Todo Gonzaga. Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)
ENDEREÇO E MAIS INFORMAÇÕES: Centro Cultural Cais do Sertão – Av. Alfredo Lisboa, s/n, Bairro do Recife, fone: 3182-8266.
SECRETARIA DE TURISMO E LAZER DE PERNAMBUCO 
EMPRESA DE TURISMO DE PERNAMBUCO (EMPETUR)
CENTRO CULTURAL CAIS DO SERTÃO
ARENA DE PERNAMBUCO

CARNAVAL DE BEZERROS – Inscrições para o Concurso dos Papangus já estão abertas

O processo de inscrição para o Concurso dos Papangus já teve início.

BEZERROSA partir desta terça-feira, 5 de fevereiro, até o dia 8 de fevereiro, aqueles que desejarem participar do concurso devem procurar a Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, localizada na Rua XV de Novembro, nº 35, Centro (antigo prédio da Coletoria).

            São mais de R$ 24 mil em prêmios. A Categoria Adulto terá três modalidades: Individual, Dupla e Grupo, sendo as mesmas divididas em Tradicional e Estilizada. A Categoria Infantil e Infanto-Juvenil terá duas modalidades: Infanto-Mirim (0 a 7 anos) e Infanto-Juvenil (8 a 14 anos).

            O concurso da Categoria Adulto acontece no domingo de Carnaval, a partir das 9h30min, na passarela do Palco da Praça Centenária, enquanto que a Categoria Infantil e Infanto-Juvenil será na terça-feira de Carnaval, a partir das 10h, no Espaço Criança (Praça da Bandeira). Vale lembrar que a inscrição é totalmente gratuita para todas as categorias e modalidades.

Quatro razões para fazer trabalho voluntário no exterior em 2019

Especialista da CI explica que investir no volunturismo trará benefícios não só para a sociedade e o meio ambiente, mas para a pessoa que veste a camisa de uma causa

turismo voluntarioUma coisa que todos deveriam experimentar na vida é fazer um trabalho voluntário.

Incentivo e razões não faltam para vestir a camisa e ajudar o próximo e o meio ambiente.

Uma pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), mostra que 7,4 milhões de pessoas fizeram algum tipo de voluntariado em 2017.

Além disso, não é raro encontrar celebridades e influenciadores que estão envolvidos em causas sociais, prontos para motivar seus seguidores a viverem essa experiência, o que faz esse número continuar a crescer.

E você já pensou em fazer um trabalho voluntário? E que tal ser em outro país?

As opções são muitas, você pode ir para a África do Sul, Sri Lanka, Tailândia, Índia e muitos outros destinos.

Essa é uma excelente oportunidade de unir a vontade de viajar com o de fazer a diferença no mundo.

A especialista da CI Intercâmbio e Viagem, Fabiana Fernandes, traz 4 razões para arrumar as malas e fazer boas ações pelo mundo.

“Existem quatro diferentes tipos de projetos de voluntariado, são o social, esportivo, ambiental e o voltado para a saúde. É possível participar da recuperação e preservação de animais e do meio ambiente, além de desenvolver ações humanitárias em diversos países. As opções atendem a todos os interesses”, explica Fabiana.

Então, por que fazer um trabalho voluntário no exterior?

1 – VOCÊ FARÁ A DIFERENÇA NA COMUNIDADE (SOCIEDADE)

Uma das razões, que parece óbvia, mas que é muito importante ter em mente, é a que ao fazer o trabalho voluntário você estará ajudando muitas outras pessoas. “É preciso ajustar as expectativas sobre o volunturismo. É verdade que não vão faltar momentos de diversão e turismo, mas o foco principal é melhorar a comunidade local ou preservar o meio ambiente. Seja ao fazer uma criança sorrir ou ao auxiliar na recuperação de um animal selvagem, esse é o momento de dedicar um bom tempo para deixar o mundo melhor”, comenta.

2 – VOCÊ FARÁ CONEXÕES COM BOAS PESSOAS

A especialista explica que o primeiro contato com integrantes de um grupo de diferentes nacionalidades pode ser um choque cultural, mas as diferenças logo somem ao trabalharem em prol da mesma causa. “Essa é uma excelente forma de se conectar com pessoas que compartilham dos mesmos interesses que você, e podem se incentivar a trabalhar ainda mais no projeto. Também é uma chance de estabelecer parcerias e forma assim um bom networking”.

3 – VOCÊ FARÁ BEM PARA A SUA SAÚDE MENTAL E SENTIMENTAL

Apesar do foco do voluntariado ser o de fazer algo bom para o próximo, ele também trará benefícios para você. Fazer um trabalho voluntario junto com uma viagem vão te ajudar a aumentar a auto-estima, aliviar o estresse e até mesmo combater a depressão. No final, a sua saúde vai agradecer por viver essa experiência.

A especialista explica que, “o trabalho voluntário vai dar a pessoa um propósito e um significado na vida dele. Isso fará o voluntário se sentir bem consigo mesmo e otimista sobre o que fez”.

4 – VOCÊ DARÁ UM UPGRADE NO SEU CURRÍCULO

Além dos benefícios pessoais, o volunturismo traz para a sua carreira profissional um grande diferencial. “O trabalho voluntário dá um brilho especial no currículo. Ter a experiência demonstra que o candidato desenvolveu o espírito de equipe, pró atividade e boas habilidades de comunicação, habilidades essenciais no mercado corporativo atual”, comenta Fabiana.

“Ensinar pessoas, brincar com crianças, cuidar de animais e da natureza. Independente do projeto escolhido, essa é uma excelente oportunidade para fazer a diferença e influenciar outros a fazerem o bem também”, completa a gerente de produtos da CI, Fabiana Fernandes.

Sobre a CI

A CI Intercâmbio e Viagem foi criada em 1988, na cidade de São Paulo. Em 30 anos de história, a agência já expandiu para 22 estados brasileiros e 4 países (Austrália, Irlanda, Nova Zelândia e Canadá), com mais de 130 unidades contratadas, sendo hoje a empresa mais reconhecida no segmento.

A CI trabalha com experiências internacionais únicas, seja para estudo, trabalho ou turismo. Cursos no Exterior, High School, Intercâmbio Teen, Trabalhar e Estudar e Mochilão são os programas mais procurados, principalmente, entre jovens de 13 a 35 anos.

Ao longo da sua história, a empresa foi responsável pelo embarque de mais de meio milhão de clientes para o exterior.

Para entregar uma solução completa para o cliente, a CI possui um mundo de experiências com as unidades de negócios que fazem parte do grupo, como a Amaze, empresa especializada em viagens para estudantes do Ensino Fundamental e Médio; a CI Universidades; e a CI Seguros.

 

Dezoito Com Thiago Garcia
Assessor de Imprensathiago.garcia@dezoitocom.com.br
(11) 3674-4400 Ramal 4449
(11) 95222-2626
Uma empresa do GRUPO RAI