“A nova Guerra de Canudos”. Um texto do jornalista HOMERO FONSECA

homeroExército contra favelados: desenha-se no coração do Rio de Janeiro uma nova versão da trágica campanha que Euclides da Cunha denunciou como um genocídio. E a situação tem muitos pontos a ver com aquela página infeliz da nossa História.

favelaPequena aula de História: a República, instaurada por um golpe militar em 1889, ainda engatinhava, quando milhares de sertanejos miseráveis, sob a inspiração de um líder sebastianista — Antônio Conselheiro — se aglutinou no Arraial de Canudos, Bahia.

A região, historicamente caracterizada por latifúndios improdutivos, secas cíclicas e desemprego crônico, passava por uma grave crise econômica e social.

Os camponeses alimentavam a crença numa salvação milagrosa dos flagelos do clima e da exclusão econômica e social. Alarmados que “Canudos descesse” e se alastrasse por todo o Sertão, latifundiários e cúpula da Igreja Católica pressionaram o Governo para que fizesse uma intervenção armada.

Apesar do caráter eminentemente religioso-social do fenômeno, correram rumores de que os “fanáticos” ou “jagunços” (como eram chamados pela mídia os habitantes de Canudos) tinham uma motivação política: reinstaurar a Monarquia.

Com forte apoio da opinião pública manipulada pela mídia, o Exército atacou o arraial.

Foram necessárias quatro campanhas para que Canudos fosse destruído por canhões, dinamite e fogo. Estima-se que morreram 20 mil camponeses e 5 mil soldados.

Euclides da Cunha, que esteve no cenário da guerra como jornalista e estava convencido da ameaça à lei e à ordem republicana pelos famintos sertanejos, numa demonstração de honestidade e coragem intelectual, mudou de ideia e denunciou a intervenção militar como um genocídio, no clássico “Os Sertões”.

Nos arredores de Canudos, parte das tropas se acantonara no Morro da Favela, cujo nome vem de uma planta abundante na região: favela ou Jatropha phyllacantha.

Após a destruição de Canudos, muitos os soldados foram desengajados e se dirigiram à capital da República, em busca da sobrevivência. Ocuparam inicialmente o Morro da Providência, que começaram a chamar de favela. E deu no que deu.

Hoje, o Exército foi convocado para ocupar os Morros das Favelas do Rio com o objetivo de combater o tráfico de drogas e a violência.

Os especialistas questionam a eficácia da operação, lembrando ter sido inócua a ocupação do Complexo da Maré, em 2014, e insinuam sua motivação política.

A nota da Federação das Favelas do Rio, que publicamos ontem aqui na íntegra, é um documento histórico de denúncia e advertência: “A favela nunca declarou guerra a ninguém. Precisamos de uma intervenção que nos traga a vida e não a morte.” O Exército é treinado para a guerra, não para ações policiais.

A mídia aterrorizou a população carioca. A histeria disseminada se traduz em apoio de vastos setores à “solução militar”. Posso estar enganado, mas desenha-se um novo Canudos, muito mais trágico e tão indigno quanto.

_______________________________

Homero Fonseca é jornalista, blogueiro e escritor. Foi editor da revista Continente (2000–2008). Autor do romance “Roliúde” (Record, 2007), entre outros livros.

Ciência perto de comprovar que pessoas absorvem energia de outras

No Mundo da Ciência, é comum ouvirmos dizer que tudo é energia, o que não seria diferente em nós e para nós.

Do site Conti Outra – http://www.contioutra.com

enerhiaO artigo trata de uma experiência feita em algas, e com o resultado, a doutora e terapeuta Olivia Bader Lee, sugere que o mesmo pode se aplicar aos humanos.

A equipe de pesquisa da Universidade de Bielefeld, na Alemanha, fez uma interessante descoberta mostrando que as plantas podem absorver fontes de energias alternativas de outras plantas.

Essa descoberta pode causar um grande impacto no futuro da bioenergia, eventualmente fornecendo a evidência de que pessoas absorvem energias de outras, da mesma maneira.

Membros da pesquisa biológica do Professor Olaf Kruse, confirmaram pela primeira vez que uma planta, Chlamydomonas Reinhardtii, não apenas realiza a fotossíntese, mas também tem uma fonte alternativa de energia, que pode absorver de outras plantas, conforme publicado no site Nature.com.

sentir e

As flores precisam de água e luz para crescerem, e as pessoas não são diferentes.

Nossos corpos físicos são como esponjas, absorvendo o ambiente a nossa volta.

“É exatamente por isso que há pessoas que se sentem desconfortáveis onde há um certo grupo com mistura de energias e emoções”, disse a psicóloga e terapeuta Dr. Olivia Bader Lee.

Plantas produzem a fotossíntese a partir do dióxido de carbono, água e luz. Em uma série de experimentos, Professor Ola Kruse e sua equipe, cultivaram a alga microscopicamente pequena, Chlamydomonas Reinhardtii, e observaram quequando expostas à falta de energia, essas plantas de células únicas podem absorver energia de vegetais ao redor.

A alga ‘digere’ as enzimas de celulose, tornando-as pequenos componentes de açúcar, sendo então transportados para células e transformados em fontes de energia.

“Essa é a primeira vez que esse comportamento é confirmado em um organismo vegetal. Essas algas poderem digerir a celulose, contradiz todos os livros anteriores. Até certo ponto, o que estamos vendo é plantas se alimentando de plantas”, diz  Professor Kruse.

Dr. Bader Lee diz que quando os estudos sobre energia se tornarem mais avançados nos próximos anos, nós poderemos ver toda essa ação sendo traduzida também para os seres humanos.

Bader Lee complementa: “O organismo humano é bastante similar à uma planta, que suga, absorve a energia necessária para alimentar seu estado emocional, e isso pode energizar as células ou causar o aumento de cortisol e catabolizar, alimentar as células dependendo da necessidade emocional.”

Finalizando, Dr. Bader fala da conexão do homem com a natureza, que se perdeu durante os anos mas que está se reencontrando novamente, afirmando que o ser humano pode absorver e curar através de outros seres humanos, animais e qualquer parte da natureza. É por isso que estar perto da natureza é frequentemente tonificante, curativo e energizante para tantas pessoas.

Ao contrário do que pensam muitos ‘cientistas’ da idade moderna, que clamam conhecer tudo, se existe o Mundo Espiritual, ele não é separado da Ciência, e sim separado da ciência reduzida do homem.

Por conta de inúmeros relatos de pessoas com capacidades ‘paranormais’ para o padrão moderno do mundo, pesquisadores da Universidade de Granada, na Espanha, conduziram um estudo sobre o fato de pessoas que afirmam verem a aura de outras, conforme publicado no site MedicalXpress.

O fenômeno neuropsicológico ‘Synesthesia’, é uma condição na qual um padrão cognitivo leva a outro, misturando seus sentidos. Dessa maneira, as pessoas que possuem essa capacidade, podem ver ou até mesmo sentir o som, ouvir um cheiro, ou associar pessoas a um tipo de cor ou música.

Vemos que não se trata apenas de uma suposição, mas algo sendo descoberto pelos cientistas e afirmado por outros, o que há milênios se sabia nas culturas orientais, por exemplo.

Sendo assim, o nosso campo áurico pode tanto afetar quanto ser afetado não só por pessoas ao nosso redor, mas também por objetos, já que conforme afirma a Ciência, tudo é energia.

O BioField Global, fala detalhadamente sobre os nossos corpos mais sutis, do conhecimento dos antigos hindus, e do aprofundamento dos estudos da aura com o auxílio da moderna tecnologia.

“MEMORIAL DO DIA SEGUINTE” – A Revolução de 1817 em documentos da época

Trata-se de transcrição de documentos originais que constituem os primeiros registros feitos após a derrota da revolução pernambucana e a retomada do poder pelo regime colonial português.

Um texto publicado no facebook pelo jornalista Evaldo Costa

revolucao

No próximo 1° de março será lançado o livro “Memorial do dia seguinte. A Revolução de 1817 nos documentos da época”, organizado numa parceria de Evaldo Costa, Hildo Leal da Rocha e Débora Cavalcantes.

A obra sai com o padrão da CEPE Editora e a assistência técnica da equipe do Arquivo Público.

Trata-se de transcrição de documentos originais que constituem os primeiros registros feitos após a derrota da revolução pernambucana e a retomada do poder pelo regime colonial português.

A importância histórica é evidente, marcando o fechamento das comemorações do bicentenário do movimento republicano de 1817.

Parabéns a Ricardo Leitao, Ricardo Melo, Wellington de Melo e Luís Arrais (diagramador e capista) e a toda a CEPE.
Parabéns ao diretor do Arquivo, Felix Filho, e a toda a sua equipe.

_______________________________

SERVIÇO
Lançamento do livro “Memorial do dia seguinte”.
Organizadores: Evaldo Costa, Hildo Leal da Rosa e Débora Cavalcantes
Local: sede do Arquivo Público, rua do Imperador
Data: 01/03/2018
Horário: 18h30

O Hino de Gravatá em ritmo de frevo é a mais nova criação do musico compositor DON TRONXO

 Saiba mais sobre a história e performance desse grande artista

don tronxo

O músico Don Tronxo, nascido João Fernando, na Paraíba mas radicado em Pernambuco (infância em Casa Amarela no Recife, juventude pelos palcos e ladeiras de Olinda, há vinte anos morando em Gravatá), acaba de compor uma de suas mais belas obras musicais: o Hino de Gravatá – de autoria dos saudosos maestro Manuel Bombardino e da professora Maria José Carvalho – em ritmo e musicalidade de Frevo.

DON TRONXO

Com uma experiência e discografia construída em mais de 40 anos de carreira, Don Tronxo possui 24 álbuns lançados, entre trabalhos solo, coletâneas e parcerias de sucessos como “Maria dos Santos”, “Moinhos”, “Balanço de Rede”, “Beijando a Flora”, “Sonhei de Cara”, “Nas Asas de um Passarinho”, entre outros com Alceu Valença, Lula Côrtes e Zé Ramalho.

O paraibano João Fernando, que adotou o nome artístico de Don Tronxo (cujo apelido surgiu da sua forma desordenada de jogar futebol no bairro de Casa Amarela na década de 70), já estava radicado em Recife antes de se mudar para Gravatá há mais de 20 anos, sempre manteve parcerias com outros artistas consagrados no cenário musical nacional.

don t

Na década de 80 gravou discos com canções que até hoje são reconhecidas pelo público seja na sua voz e na de Alceu Valença (com quem mantém uma parceria até hoje em diversos sucessos), ou através de outros artistas. Também foi músico da banda de Alceu Valença durante a turnê “Estação da Luz” em 1985, e abriu os shows de Gilberto Gil no Centro de Convenções do Recife já na década de 90.

Don Tronxo consolidou diversas parcerias com grandes artistas como Dominguinhos, que gravou “Cheiro de Jasmim” de autoria com Tito Lívio, além do Asas da América com a música “Chego Já” de Alceu Valença, entre outros como Rubem Valença Filho, Rodolfo Aureliano, Calazans Callou, Romero Mamata, Heitor Silva, Gracinha Telles, Maestro Duda, J. Michiles (com o Frevo “Doido Amor”), além de participar de diversos shows em São Paulo e no Rio de Janeiro da década de 90 com Elba Ramalho, Moraes Moreira, Caetano Veloso e Armandinho Macedo. Nesta mesma época, participou das gravações do LP Estação do Frevo de Maestro Duda juntamente com Carlos Fernando, e do CD Recife Frevoé com Moraes Moreira, Lenine, Quinteto Violado, Amelinha, Chico César, Almir Rouche e Leila Pinheiro.

Tânia Alves, Teca Calazans, Guadalupe e Toquinho também gravaram músicas de Don Tronxo, como “Minha Rainha” em parceria com Dominguinhos e Rubem Valença Filho.

Em 1985 lançou seu primeiro LP denominado “Estamos Chegando” ainda assinando como João Fernando (seu nome verdadeiro) em parcerias com Ricardo Uchôa, entre outros.

1987 foi o ano da gravação do LP “Luzes e Trovões”, trazendo em destaque a faixa-título (em parceria com Rubem Valença Filho), além das faixas “Rosa Vermelha” (com Zé da Flauta), “Navio Fantasma” (com Lula Côrtes), “Sonhei de Cara” (com Alceu Valença e Rubem Valença Filho) e “Bailarina” (com Rubem Valença Filho).

No ano de 1990 chega às lojas o LP “Brilhos e Mistérios”, cuja faixa-título é assinada junto com Lula Côrtes, trazendo também diversos sucessos como “Moinhos”, “Maria dos Santos”, “Dengoso” e “Balanço de Rede”, todas em parceria com Alceu Valença. Gravou também em 1992 o CD “Don Tronxo Especial”, arranjado e programado pelo tecladista recifense Fabio Valois.

Gravou em 1994 o LP “Verdes Mares”, com frevos de sua autoria (“Frevo Dengoso”, “Pernambuco no Frevo”) e parcerias com Carlos Fernando. Depois vieram ainda as gravações dos CD de Forró (“O Brilho do Forró”, “Botando Fogo no Forró” e “Gravatá Estrela Matutina”), além dos CD de Frevo (“O Don do Frevo”, “Pernambuco é Frevo Meu Bem”) e um CD como intérprete (“Don Tronxo Canta MPB”).

No ano de 2011 veio o CD “Tantos Desejos”, e em 2014 os consagrados CD “Frevo Acústico” e “Beijando a Flora”, e no final do ano de 2015 lançou o CD “Folias de Carnavais”, resumindo toda sua trajetória musical e artística em mais de 40 anos de carreira.

Nesse 2018 Don Tronxo continua compondo, se apresentando com novos lançamentos e sempre fazendo sucesso, como aconteceu neste Carnaval em Recife, Olinda, Gravatá e outras cidades do Estado.

O Hino de Gravatá musicado e interpretado é a mais nova novidade de Don Tronxo, cuja a primeira apresentação publica ocorreu nesta segunda-feira dia 19 de fevereiro no Programa do Castanha, apresentado pelos jornalistas Claudio Castanha e Fernanda Tavares, na Rádio Clima FM, 98.5, de Gravatá.

 

Feriado estadual da Revolução Pernambucana de 1817 começa a valer este ano

bandeiraA partir de 2018, o dia 6 de março será feriado em todo o Estado

leaoAprovado pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) pela Lei nº 16.059, de 8 de junho de 2017, o feriado da Data Magna de Pernambuco entra em vigor este ano, a partir do próximo 6 de março.

A data faz referência ao dia da Revolução Pernambucana de 1817, que chegou ao bicentenário em 2017. A proposta foi apresentada pelos deputados Isaltino Nascimento (PSB) e Terezinha Nunes (PSDB).

De acordo com a Alepe, a norma estabelece que o Poder Público realize, no dia 6 de março, hasteamento solene da bandeira de Pernambuco no Palácio do Governo e colocação de flores no Monumento aos Revolucionários, que fica na praça da República, no bairro de Santo Antônio, na área central do Recife. A data ainda prevê a realização anual de Reunião Solene na Assembleia para entrega da Medalha do Mérito Democrático e Popular Frei Caneca.

A data de 6 de março marca o dia em que o capitão José de Barros Lima, conhecido como “Leão Coroado”, matou o comandante português que lhe havia dado voz de prisão e tomou com seus aliados o quartel do Regimento de Artilharia, no bairro de Santo Antônio – episódio que foi o estopim da Revolução de 1817.

Escolas e faculdades

Os calendários acadêmicos das escolas estaduais, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Universidade de Pernambuco (UPE) assinalam a data como feriado e sem atividades letivas.

A Alepe diz que a data deve fazer parte dos calendários das escolas, que deverão promover formas pedagógicas de celebração.

A lei recomenda instituições públicas e privadas que realizem palestras, concursos e outros eventos comemorativos, além de instituir a Semana da História de Pernambuco.

E EM GRAVATÁ? Recife é a 7ª cidade que mais pediu pizza no Brasil. A cada 8 minutos e meio, uma pizza é pedida.

Calabresa é a pizza favorita do brasileiro e foi a mais pedida no ano passado, segundo levantamento divulgado pelo iFood.

O blog do jornalista João Alberto, Diario de Pernambuco

pizzaO levantamento da empresa aponta que foram pedidas 8,5 pizzas por minuto.

Na lista dos sabores mais pedidos estão portuguesa, quatro queijos, frango com catupiry, muçarela, marguerita, chocolate, toscana e abobrinha.

Confira o top 10 de cidades que mais pediram pizza em 2017 pelo aplicativo iFood, inclusive Recife está na sétima posição:

1) São Paulo
2) Rio De Janeiro
3) Fortaleza
4) Brasilia
5) Belo Horizonte
6) Curitiba
7) Recife
8) Salvador
9) Niterói
10) Campinas

A vida de HEBE CAMARGO será transformada em filme de longa metragem

VAI PARA AS TELAS DO CINEMA DO BRASIL. RITA LEE TAMBÉM TERÁ SUA HISTÓRIA TRANSFORMADA EM FILME

HEBEO longa contará a história da vida e da carreira de Hebe, que começou como cantora de rádio e participou da implantação da televisão no Brasil.

A artista faleceu em setembro de 2012, um ano após ter saído do SBT e de ter assinado contrato com a RedeTV!.

Ainda em fase de construção de roteiro, o filme não tem previsão para início das gravações e nem para a estreia. Enquanto isso, o espetáculo Hebe: o musical segue em cartaz no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo.

Foi definida a atriz que interpretará Hebe Camargo nas telonas.

A escolhida foi Andréa Beltrão, que deu vida à Sueli na série Tapas e beijos, da TV Globo.

A direção do longa será de Maurício Farias, marido de Beltrão e que também a dirigiu na série global.

Carolina Kotscho, por sua vez, será a responsável pelo roteiro da cinebiografia. Ela assinou o texto do filme Dois filhos de Francisco (2005), que conta a história da dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano, e da série de ação Supermax, exibida na Globo em 2016.

Rita Lee.

RITA LEEQuem também terá sua história contada nos cinemas é a cantora Rita Lee.

A rainha do rock assinou um contrato com a Biônica Filmes para adaptação do livro Rita Lee – uma autobiografia para um longa-metragem.

O elenco do filme ainda não foi definido, tampouco a atriz responsável por encarnar Rita Lee.

Nos palcos, ela foi interpretada por Mel Lisboa, que estrelou o musical Rita Lee mora ao lado. O espetáculo esteve no Recife em 2015 para três apresentações.

ATENÇÃO ESCOLAS DE GRAVATÁ. Concurso de leitura vai premiar garotada com tablets e notebooks

 ASPA 2Projeto Ler Bem quer estimula o hábito de leitura. Para participar da ação, o aluno deve iniciar a etapa de avaliação na própria instituição de ensino. Procure seu professor ou a direção da sua escola.

ASPA 1Até o dia 28 de fevereiro, o concurso Ler Bem, projeto social que estimula a leitura, recebe inscrições.

Promovida pela Associação Pernambucana de Atacadistas e Distribuidores (Aspa), a disputa avaliará a garotada a partir da leitura, em voz alta, de trecho de uma obra escolhida pela organização.

Podem concorrer estudantes do 4º ano do ensino fundamental I, com até 10 anos de idade.

A ideia é estimular a educação através da leitura em grupo.

De acordo com o presidente da Aspa, José Luiz Torres, a ideia é integrar estudantes de diversos municípios pernambucanos. “Já tivemos vencedores do concurso que ensinaram os pais a ler e essa transformação é o maior retorno que podemos obter com o projeto”, afirma.

Para participar da ação, o aluno deve iniciar a etapa de avaliação na própria instituição de ensino.

Essa é a primeira fase, que acontecerá até junho. Após selecionado o estudante representante do município, é a hora da disputa regional, englobando os municípios do Sertão, Agreste e da Zona da Mata.

Dessas etapas, sairão três representantes de cada local. O vencedor chega em outubro ao Recife para concorrer a final.

Os vencedores ganharão um final de semana em Porto de galinhas, além de um tablet. Os 15 finalistas são ainda premiados com notebooks.

Senac abre vagas gratuitas para curso de bartender

 Interessados têm até quarta para se inscrever. senacAo todo, estão sendo oferecidas 25 vagas para a capacitação, com aulas acontecendo entre os dias 27 de fevereiro e 14 de junho, de segunda a sexta, das 18h às 22h

O Senac Pernambuco abriu inscrições para o curso gratuito de bartender.

Ao todo, estão sendo oferecidas 25 vagas para a capacitação, com aulas acontecendo entre os dias 27 de fevereiro e 14 de junho, de segunda a sexta, das 18h às 22h, na Unidade de Hotelaria e Turismo da instituição, que fica na Avenida Visconde de Suassuna, 500, Santo Amaro.

Os interessados devem fazer a inscrição até a próxima quarta-feira, no Senac, apresentando cópias de RG, CPF e comprovantes de residência e escolaridade.

É preciso ter Ensino Médio completo. Há um limite de 50 inscrições e, em seguida, os 50 candidatos participarão de uma seleção para concorrer às 25 vagas gratuitas.

O curso acontece por meio do programa Learning For Life (Aprendendo para a Vida), fruto de uma parceria entre o Senac e a Diageo, líder mundial na produção de bebidas alcoólicas Premium que inclui marcas como Smirnoff e Johnnie Walker.

O projeto é voltado para jovens entre 18 e 34 anos de idade, com Ensino Médio completo e baixo poder aquisitivo.

O bartender é responsável por criar, preparar e servir bebidas conforme solicitação do cliente, considerando as normas e os procedimentos técnicos de higiene. Criatividade, boa comunicação, equilíbrio emocional e ética são características fundamentais para a rotina deste profissional.