Dom Helder Câmara é declarado Patrono Brasileiro dos Direitos Humanos

Ícone da resistência contra a ditadura militar, Dom Helder Câmara foi declarado Patrono Brasileiro dos Direitos Humanos pela Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados.

Fonte: Vatican News/ operamundi.uol.com.br – Foto: Edson Leal/Ministério da Cultura

hgelder 2

O órgão técnico aprovou, por unanimidade, o Projeto de Lei 7230/14, no dia 27 de dezembro. O texto foi publicado no Diário Oficial da União e a matéria segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, em caráter conclusivo.

O título de patrono de determinada categoria é muito relevante, pois reconhece a atuação de figuras importantes para o País e serve de inspiração para todos. Dom Helder é uma dessas figuras, enquanto arcebispo de Olinda e Recife foi um dos expoentes católicos que sempre lutou em benefício de melhores condições de vida para os mais pobres, especialmente na época da ditadura militar. Falecido em 1999, o religioso é reconhecido como exímio defensor dos Direitos Humanos.

Na década de 1950, Dom Helder fundou obras sociais como a Cruzada São Sebastião, cujo objetivo era atender os moradores das favelas, e o Banco da Providência, que organizava doações e microcrédito para as famílias de baixa renda.

Dom Helder exerceu ainda funções na Secretaria de Educação do Rio de Janeiro e no Conselho Nacional de Educação. Foi também um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e por sua trajetória, reconhecida internacionalmente, foi o único brasileiro cotado quatro vezes para o Prêmio Nobel da Paz.

Em seus mais de 20 livros publicados – boa parte traduzida para outros idiomas –, Dom Helder defendeu ainda o seu ideal de “não-violência” e a necessidade de profundas reformas por um Brasil menos desigual.

ATUAÇÃO EM FAVOR DOS POBRES

O combate às violações de direitos humanos custou ao arcebispo uma perda pessoal: em 1969, o assessor de Dom Hélder, Padre Henrique, foi preso e torturado até a morte pelos militares.

O local onde Dom Helder passou os últimos anos de vida, nos fundos da Igreja de Nossa Senhora da Assunção das Fronteiras, no Recife (PE), foi transformado em museu. No Memorial Dom Helder Câmara, estão expostos objetos como livros, quadros, roupas e móveis de uso pessoal do arcebispo.

O processo de beatificação de Dom Helder começou em maio de 2015 e se encontra na fase diocesana, na qual uma série de documentos, escritos de sua autoria e apanhados históricos são analisados.  Em seguida, tramita para o Vaticano, onde será nomeado um relator.

Fonte: Vatican News/ operamundi.uol.com.br

Foto: Edson Leal/Ministério da Cultura

Gravatá recebe X Virtuosi acontece entre os dias 13 a 22 de julho na Igreja Matriz de Sant’Ana com entrada gratuita.

Pelo décimo ano consecutivo, Gravatá recebe X Virtuosi  acontece entre os dias 13 a 22 de julho na Igreja Matriz de Sant’Ana com entrada gratuita.

foto de Wanessa Bastos

virtuosi c

Uma programação musical com instrumentistas de alta qualidade com direção musical do maestro Rafael Garcia.

A programação tem início na sexta (13) às 20h na Igreja Matriz de Sant’Ana com a Orquestra Jovem de Pernambuco sob a direção do Maestro Rafael Garcia tendo como solistas os violinistas Erica Tursi e Mason Yu, a violista Jinsun Hong, o violoncelista Alex Cox, o pianista Victor Asuncion e o trompetista Ayrton Benck.

No sábado (14) às 11h, sobe ao palco do Virtuosi o Quinta Essencia Quarteto. No mesmo dia, às 20h o Omer String Quartet se apresenta pela primeira vez no Brasil.

Domingo (15) às 11h da manhã, o pianista Victor Asuncion apresenta o programa “O Piano de Ravel”.

O festival recebe na segunda (16) às 20h o recital POVO BRASILEIRO: CANTOS DO NORDESTE com participação do CONTRACANTOS & CONTRAVENTOS sob a regência de Flávio Medeiros.

É um concerto musical com elementos teatrais que apresenta a cultura brasileira através de um repertório com peças nordestinas valorizando as diferentes matrizes da formação de nosso povo.

O concerto incorpora música vocal e instrumental, aliada a elementos da poesia de cordel, gestos sonoros e ritmos pernambucanos.

O programa é baseado em obras musicais de tradição oral: aboios, toadas de maracatu, cirandas, coco, caboclinho e frevo, entre outros.

Na terça (17) sempre às 20h, é a vez do recital violonista Fábio Zanon, um dos maiores violonistas brasileiros de todos os tempos e dos mais influentes da atualidade.

No dia 18 será realizado o primeiro recital de alunos do festival. O X Virtuosi de Gravatá segue trazendo no dia 19 uma noite de música de câmara com o contrabaixista Brian Fountain, o Omer Quartet e o pianista Victor Asuncion, executando pela primeira vez em Gravatá o Quinteto para piano de Elgar.

O festival segue dia 20, às 20h, com o recital do contratenor João Paulo Ferreira, natural de Garanhuns, que se apresenta pela primeira vez em Pernambuco, desde que se radicou em Portugal. João Paulo Ferreira será acompanhado pelo pianista Victor Asuncion.

Às 11h do sábado (21), será a vez do programa CANTO DE UMA NAÇÃO. Palestra e recital se unem sobre as Canções Típicas Brasileiras de Heitor Villa-Lobos. Projeto aprovado pelo Funcultura traz Marcelo Ferreira, barítono e palestrante, Gleyce Melo, soprano e Vitor Philomeno, pianista.

No mesmo dia às 19h, o festival apresenta o programa Uma Noite na Ópera com a Orquestra Jovem de Pernambuco tendo como solista Adriane Queiroz, soprano brasileira, que integra o ensemble solista da Ópera de Berlim. Adriana Queiroz já se apresentou com regentes importantes tais como Daniel Barenboimn e Kent Nagano, entre outros. Cantou com a Filarmônica de Berlim a 8ª Sinfonia de Mahler com Pierre Boulez, gravando a mesma obra para a Gramophone alemã. Realiza um trabalho de divulgação da Música brasileira, tendo gravado um CD com Canções de Guarnieri e Mignone. O festival se encerra no domingo (22) às 11h com o Recital de Alunos do evento.

O X Virtuosi de Gravatá tem o patrocínio do Ministério da Cultura através da lei federal de incentivo fiscal, Prefeitura de Gravatá, Hotel Canarius e CEPE.

X VIRTUOSI DE GRAVATÁ
RAFAEL GARCIA, diretor artístico

IGREJA MATRIZ DE SANT’ANA
13 a 22 de julho de 2018

13.07 19h
ORQUESTRA JOVEM DE PERNAMBUCO
RAFAEL GARCIA, regente
MASON YU & ERICA TURSI, violinos
JINSUN HONG, viola
ALEX COX, cello
VICTOR ASUNCION, piano
AYRTON BENCK, trompete

14.07 11h
QUINTA ESSENCIA QUARTETO

19h
OMER QUARTET

15.07 11h
VICTOR ASUNCION

16.07 19h
CONTRACANTOS & CONTRAVENTOS

17.07 19h
FÁBIO ZANON, violão

18.07 19h
RECITAL DE ALUNOS

19.7 19h
HINDEMITH & ELGAR
BRIAN FOUNTAIN, contrabaixo
MASON YU & ERICA TURSI, violinos
JINSUN HONG, viola
ALEX COX, cello
VICTOR ASUNCION, piano

20.7 19h
JOÃO PAULO FERREIRA, contratenor
VICTOR ASUNCION, piano

21.7 11h
CANTO DE UMA NAÇÃO
Cancões Típicas Brasileiras de Heitor Villa-Lobos
GLEYCE MELO, soprano
MARCELO FERREIRA, baritone
VITOR PHILOMENO, piano

19h
UMA NOITE NA ÓPERA
ORQUESTRA JOVEM DE PERNAMBUCO
ADRIANE QUEIROZ, soprano
RAFAEL GARCIA, regente

22.7 11h
RECITAL DE ALUNOS