Cavalos impulsionam economia e Turismo Rural de Gravatá

O número de turistas que buscam como destino o interior do Estado vem crescendo a cada ano.

cavalossEles buscam conhecer os engenhos, turismo de aventura e, principalmente, a equideocultura ou criação de cavalos. Estudos realizados pelo Sebrae PE para estimular turismo rural na região apontam que as atividades com cavalo são as opções de lazer mais procuradas pelos turistas. O que levou a intuição a desenvolver uma série de ações para impulsionar o turismo equestre, entre elas a Festa do Cavalo, que já chega a sua 11ª edição.

Dados apontam que 48% desses visitantes associam diretamente o lazer no campo ao cavalo. “O cavalo é citado como um dos principais atrativos neste segmento e Gravatá tem uma grande concentração de equipamentos de turismo ligados à criação de cavalos”, destaca Pio Guerra, presidente da Faepe. Segundo Guerra, Pernambuco é referência na criação de algumas raças, como a mangalarga marchador de marcha picada e a campolina, ideal para passeio.

 A realização da Festa do Cavalo, por exemplo, tem impacto direto e positivo sobre diversas cadeias, tais como vestuário, selas/arreios, ração, alimentação, bares, restaurantes e até postos de gasolina, entre outros. Para o setor hoteleiro, o evento representa incremento médio de 60%, durante a semana,  e 30% no fim de semana, em relação à média habitual.Atualmente, Gravatá reúne cerca de 100 haras, voltados para a criação de cavalos. “O negócio de cavalo é um ramo surpreendente, com uma grande diversidade de opprtunidades”, fala  Eduardo Cavalcanti, representante da Associação Pernambucana de Turismo Rural e Ecológico (Apetur) e sócio do Hotel Portal de Gravatá.

.