Cepe lança no Passeio Literário HQ sobre a Revolução de 1817

Com 104 páginas coloridas, álbum, inspirado no romance A noiva da Revolução, de Paulo Santos, visa tornar mais conhecido um importante episódio da história pernambucana e brasileira

QUADRO 1Em seu último final de semana, o Passeio Literário, evento cultural gratuito realizado em parceria entre a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) e o Shopping Plaza, apresenta para os leitores uma das edições mais aguardadas e que tem, como pano de fundo, a Revolução Pernambucana de 1817 – por sinal, considerada pelo escritor e historiador Oliveira Lima como “a única revolução brasileira digna desse nome”. Com textos e roteiro do jornalista e escritor Paulo Santos de Oliveira e desenhos de Pedro Zenival, o álbum de quadrinhos 1817 – Amor e Revolução chega ao mercado editorial dando sólida contribuição na divulgação daquele que foi o primeiro movimento efetivo de independência do Brasil.

Inspirada no livro A noiva da Revolução, do próprio Paulo Santos, a HQ é resultado de uma ampla pesquisa, reproduzindo no traço clássico de Pedro Zenival, inclusive, a estrutura urbana e paisagística do Recife e trajes usados na época. Com 104 páginas coloridas, em papel couchê, o álbum tem como foco principal a história de amor entre Domingos QUADRO 2QUADRO 3Martins, um dos líderes da revolução contra a Coroa Portuguesa, e Maria Teodora, filha de um rico comerciante português, Bento da Costa, que rejeitava a relação amorosa, pois via os brasileiros como seres de segunda categoria. “É o nosso Romeu e Julieta”, diz Paulo Santos referindo-se às dificuldades vividas pelo casal, que durante anos namorou às escondidas.

Apesar da estrutura romanesca, Amor e revolução faz uma síntese do contexto histórico do início do século 19, narrando fatos verdadeiros e protagonizados por personagens reais, muitos dos quais hoje são nomes de ruas do Recife, como Gervásio Pires, Vigário Tenório, Padre Roma, Leão Coroado, Domingos Martins, Padre João Ribeiro e Cruz Cabugá, que tornou-se embaixador de Pernambuco nos Estados Unidos.

QUADRO 6 QUADRO 4QUADRO 7 QUADRO 8 QUADRO 9Afinal, o Estado, cinco anos antes do 7 de setembro de 1822, proclamou-se uma república independente de Portugal, realidade que durou mais de dois meses, durante os quais Pernambuco ganhou constituição, exército, polícia, e marinha próprios, além de uma bandeira (que inspirou a atual) e um hino composto por Frei Caneca, intitulado Canção pernambucana. Houve também a proclamação da liberdade de imprensa, extinção de alguns impostos e chegou-se até a substituir, nas missas, o vinho pela aguardente e o trigo com que se produzia as hóstias por mandioca.

PROGRAMAÇÃO – Além do pré-lançamento do álbum de quadrinhos, que poderá ser encontrado no estande da Cepe a partir deste sábado (27.05), o Passeio Literário reserva uma ampla programação cultural para a toda a família. Nesta sexta-feira, a professora, arquiteta e urbanista Amélia Reynaldo, autora do livro As catedrais continuam brancas (selo Cepe), e a diretora do Museu da Cidade do Recife, Betânia Corrêa de Araújo, abordam aspectos sobre urbanismo e arquitetura do Recife, em palestra, às 19h. Para as crianças, o sábado e o domingo reservam brincadeiras, teatro de bonecos e leitura de livros com a turma do Baú da Camilinha.

SERVIÇO:

Pré-lançamento do álbum de quadrinhos 1817: Amor e Revolução

Quando: sábado (27.05)
Local: Plaza Shopping Casa Forte

Preço: R$ 30,00 (no estande da Cepe do Passeio Literário, até o domingo) e R$ 40,00 nas bancas e livrarias

CONTATOS:

Paulo Santos: 9.9683.8133 / pso1952@gmail.com

Pedro Zenival: 9.9783-2585 / 3183.2774 /// zenival@cepe.com.br