CRUELDADE EXTREMA – O secretário de Saúde Prefeitura de Igaracy, na Paraíba, o médico veterinário José Carlos Maia é acusado de mandar matar com crueldade 31 cachorros de rua.

caesO secretário de Saúde Prefeitura de Igaracy, na Paraíba, o médico veterinário José Carlos Maia é acusado de autorizar a morte de 31 cachorros de rua. que foram sacrificados com crueldade e jogados em lixão, diz delegado da Polícia Civil

A Prefeitura de Igaracy, na Paraíba, exonerou o secretário de saúde José Carlos Maia do cargo.

O secretário, que também é médico veterinário, é acusado de autorizar a morte de 31 cachorros de rua.

O caso ganhou grande repercussão nas redes sociais.

A medida da prefeitura segue uma recomendação do Ministério Público da Paraíba (MPPB). José Carlos Maia também foi afastado das funções do cargo efetivo de médico veterinário até o término das investigações.

Os animais teriam sido sacrificados sob a alegação de que estavam doentes e apresentavam um perfil violento. Para o MPBP, pode se tratar de um caso de infração penal e ato de improbidade administrativa.

A Polícia Civil também está investigando se a matança foi cometida com requintes de crueldade.

Apesar da Secretaria de Saúde informar que os animais morreram através do procedimento de eutanásia, havia muito sangue no local em que os cachorros foram encontrados.

Para o delegado do caso, Gleberson Fernandes, o cenário encontrado não era decorrente de um procedimento com sedativo.

Algumas pessoas foram ouvidas e há relatos de que cães saudáveis foram recolhidos e sacrificados.

Em nota, a prefeitura de Igaracy diz que preconiza que as ações de seus agentes estejam pautadas em protocolos oficiais e normas sanitárias.

“A partir do momento que teve conhecimento dos fatos, passou a colaborar com as autoridades, como ainda determinou que fosse instaurado procedimento administrativo para proceder à rigorosa apuração do caso”, pontua texto.

O MPPB também deu o prazo de cinco dias para que o prefeito Lídio Carneiro (PTB) preste informações referentes ao levantamento do número de animais nas ruas, com as respectivas zoonoses e laudos veterinários, comprovando as doenças, e que detalhe como se procedeu a matança dos animais.