E AGORA? Bandido que comandou o assalto cinematográfico à BRINKS, Willames Aguiar da Silva, costumava distribuir benesses pelas comunidades de Olinda, porque tinha pretensões eleitorais e chegou a financiar candidatos a cargos políticos.

O ASSALTO CINEMATOGRÁFICO OCORREU NA MADRUGADA DE  DE FEVEREIRO. A POLICIA TEM QUE APURAR ESSA HISTÓRIA E DIVULGAR OS RESULTADOS PARA POPULAÇÃO FICAR SABENDO.

brinkFontes da Polícia Civil de Pernambuco teria revelado em entrevista coletiva à repórteres da grande Imprensa que o líder da quadrilha que comandou o assalto cinematográfico à BRINKS, no Recife, o agente de Trânsito da cidade de Olinda, de 24 anos. Willames Aguiar da Silva, costumava distribuir benesses pelas comunidades porque tinha pretensões de concorrer a cargos eleitorais.

O bandido teria revelado à Policia que, em diversas oportunidades, havia distribuído dinheiro que conseguia com os assaltos para ajudar candidatos nas campanhas políticas no Estado. Não revelou quem seria os políticos que ajudava. Mas. a Policia já começou a investigar sobre o assunto. Mesmo sendo assaltante perigoso, mantinha seu emprego e atividade de agente de Trânsito da Prefeitura de Olinda.

O violento assaltante de bancos Willames Aguiar da Silva, estaria preso e passando por investigações. Ele e sua organização criminosa teria ligações com o PCC e ramificações em outros Estados e também financiava campanhas políticas, mas não disse quais.

A operação que prendeu e investiga o assaltante foi chamada de Durga e comandada pelo delegado titular da Roubos e Furtos, João Gustavo Godoy.

Fica uma pergunta no ar. Que campanhas políticas teriam sido financiadas pelo lider Willames Aguiar da Silva e seus comparsas assaltantes a banco, presos recentemente, cujos nomes estão sendo guardados a sete chaves pela SDS.

O ASSALTO A BRINK, NO BAIRRO DA ESTÂNCIA NO RECIFE.

O assalto divulgado pela Imprensa como “cinematográfico”, com repercussão nacional, aconteceu na madrugada do dia 21 de fevereiro de 2017 na sede da Empresa de Transportes de Valores Brink no bairro da Estância, Zona Oeste do Recife.

Foi uma ação planejada, onde foram utilizados armamentos pesados, bombas para explodir os cofres, numa ação que mobilizou muitos bandidos e teve o envolvimento de pessoas que foram violentamente confiscadas e colocadas como, em clima de horror, como escudo de defesa para os bandidos.

A Policia estimou que foram roubados mais de 60 milhões de reais e o emprego de armas de grosso calibre.