Há 50 anos Che Guevara era preso e morto na Bolívia. Neste 8 de outubro foi lembrado e recebeu homenagens póstumas de vários admiradores no mundo e no local aonde foi executado.

che 1No local aonde foi executado existe hoje um Parque com muitas árvores plantadas por parentes, ex-companheiros, autoridades e admiradores anônimos. Um local turístico que recebeu neste fim de semana visitantes de toda a América Latina.

ჩინოვნიკები, რომლებიც ჩე გევარას ცხედართან პოზირებენEm 1967, a Bolívia era o país e mais pobre da América Latina e possuía uma das forças armadas mais desequipadas da região.

Mesmo assim, um grupo de soldados raquíticos, com armas da II Guerra Mundial e quase nenhuma proficiência de combate foi capaz de subjugar e prender aquele que os movimentos armados idolatraram como seu guerrilheiro máximo.

TO GO WITH AFP STORY BY GABRIEL RUBIO GIRON A reproduction taken on November 7, 2014, shows a picture of the corpse of Argentine Marxist revolutionary, physician, author, guerrilla leader, Ernesto "Che" Guevara displayed in the Bolivian town of Vallegrande, and taken on October 10, 1967 by former AFP journalist Marc Hutten. Lost for half a century, historic photographs of Cuban revolutionary Che Guevara taken by an AFP photographer shortly after his execution have come to light in a small Spanish town. The photographs belong to Imanol Arteaga, a local councillor in the northern Spanish town of Ricla. He inherited them from his uncle Luis Cuartero, a missionary in Bolivia in the 1960s.    AFP PHOTO/ JAVIER SORIANO        (Photo credit should read JAVIER SORIANO/AFP/Getty Images)

Ao longo da tarde e noite daquele dia 08 de outubro de 1967, Che e Prado compartilharam cigarros, tomaram café e conversaram.

O guerrilheiro queixou-se que os soldados haviam lhe roubado o relógio Rolex que Fidel Castro havia lhe dado de presente. Che estava convencido que sairia ileso e, por isso, se dava ao luxo de se preocupar com o seu relógio.

che morto 2A execução de Che no dia seguinte colocou um fim na pretensões do guerrilheiro de colaborar com as autoridades. Ele acreditava que seria mantido vivo pelo valor estratégico que tinha.

Registros indicam que quando Che foi preso ele estava em frangalhos e ferido. O odor de seu corpo era tão insuportável, que depois de sua execução uma enfermeira pediu autorização para lavar o cadáver.

O que os militares bolivianos jamais poderiam imaginar era que o asseio post-mortem ajudaria reforçar o mito do martírio de Che.

As fotografias do corpo limpo e bem arrumado estendido sobre a pia de cimento passou a ser comparada à pintura A lamentação sobre Cristo morto do renascentista Andrea Mantegna (1431-1506).

Se vivo Che valeria muito para os seus captores. Morto, ele teve uma valor inestimável para Fidel Castro. Transformou-se no maior produto da propaganda cubana.

Não houve tempo de Che dizer nada. O militar que o executou o encontrou se voluntariou para fazer isso. Entrou no local onde Che estava e o fuzilou com uma rajada de metralhadora.

MAUSOLÉU

Entre barracas instaladas ao lado do mausoléu em homenagem a Che Guevara, neste fim de semana,  jovens e outros admiradores vestidos de tradicional uniforme verde-oliva, de barba e boina, os mesmos itens que imortalizaram o Che encheram o local que visou ponto de atração turística. .

O monumento, rodeado por um Parque com árvores plantadas por muita gente fãs dessa história e por voluntários voluntárias, por sua filha Aleida Guevara, por amigos e até por um pequeno museu com as fotos das ultimas horas de Che Guarevara morto e cópias dos ses escritos e seus diários.

Estiveram nessa comemoração de 50 anos da morte de Che, tres dos seus quatro filhos, delegações de vários países de toda a América Latina .