Uma história de ANATÓLIO JULIÃO. Um texto do jornalista VANDECK SANTIAGO – “Amigos, não me peçam para torcer contra o Brasil”

vandeck“Amigos, não me peçam para torcer contra o Brasil”, diz Anatólio Julião, entusiasmado torcedor da Seleção de 1970, ano em que estava exilado em Cuba, com a mãe, Alexina Crêspo, e irmãos.

Publicação copiada da página pessoal do Facebook do jornalista Vandeck Santiago (foto acima)

cuba

Seu pai, Francisco Julião, líder das Ligas Camponesas, encontrava-se exilado no México.

Qualquer um deles que pusesse os pés no Brasil seria preso e estaria à mercê da brutalidade da ditadura.

Abaixo reproduzo a bela história contada pelo próprio Anatólio de como acompanhou a Copa de 1970, em Cuba.
Estou no mesmo front. O amor que tenho pelo meu país está imune a presepadas de alguns, ou de muitos, ou mesmo da maioria dos meus compatriotas. Eles já se apropriam de muitas coisas; não deixo que se apropriem de minhas paixões.

O relato de Anatólio:

“Após mais de um ano na Escuela José Martí, em Santa Maria del Mar, a cerca de 30 Km de Havana, o Governo de Cuba nos acomodou em uma casa no bairro do Vedado.
Alguns dias depois da mudança, os quatro irmãos, Anatailde, Anatilde, Anacleto e eu, finalmente reunidos, recebemos, de surpresa, a ilustre visita de Celia Sánchez Manduley, a mais próxima colaboradora de Fidel, desde os tempos da Sierra Maestra.

Vivaz e inteligente, Celia queria saber como nos sentíamos em Cuba, se precisávamos de alguma coisa, se algo nos afligia.

Não sei em que ponto da conversa, eu, menino de 13 anos, disse-lhe que uma das maiores carências daqueles dias, além das saudades, era não poder escutar no rádio, notícias do Brasil.

Dois dias depois, um emissário seu, vestido de militar, nos entregou um poderoso rádio de fabricação tcheca, com o qual era possível escutar o Brasil, através de um dos seus três canais de ondas curtas. Alegria geral!

Em 1970, a família residindo em uma casa mais ampla no bairro de Nuevo Vedado, espalhou-se entre os exilados em Havana que nós tínhamos um rádio capaz de “pegar” as partidas da Copa.

Em dias de jogo do Brasil a casa enchia-se de exilados e guerrilheiros de todas as tendências e grupos armados para “assistir” às partidas.

Ninguém admitia torcer pelo Brasil, pois uma vitória da Seleção seria um inestimável reforço político à tenebrosa ditadura de Garrastazu Médici.

A algazarra de todos falando ao mesmo tempo era substituída por um silêncio sepulcral quando se iniciava a partida, a maioria “torcendo” contra a Seleção.

Ao primeiro gol do Brasil, todos, sem exceção, levantavam-se num grito só de “goool!!!!”, e abraçavam-se, e pulavam, e eu me perguntava, também vibrando: “ué, e não era pra torcer contra?”.

Àquela altura já não estávamos em Cuba, estávamos momentaneamente de volta ao Brasil, cada qual no seu Estado, na sua rua, com a sua família, revivendo as emoções eternas de 1958 e 1962, desejando de todo coração que o Brasil fosse tri e que a Jules Rimet ficasse para sempre na sua casa definitiva, propriedade que era, por méritos e arte, do povo brasileiro.

Não me peçam para torcer contra o Brasil!”

____________________________

Vandeck Santiago é jornalista, ganhador de vários prêmios de reportagens, repórter do Diario de Pernambuco.

Com a receita ‘Ovos’, Eudes Cardoso (Eudes da Cabidela, de Gravatá) vence o ‘Egg Festival’

eudes 4Segundo lugar na escolha do júri ficou a “Pavê de Ovos” e em terceiro a “Ovos recheados à la Huancaína”

 

A receita “Ovos”, do finalista Eudes Cardoso, foi a grande vencedora do Egg Festival.

Como prêmio, ele vai levar para casa R$ 1 mil.

O prato que acompanhou azeite, mostarda e mel agradou os três jurados do concurso gastronômico da TV Asa Branca.

A final, que contou com o apoio da Distribuidora Ovo Novo, aconteceu na noite de segunda-feira (11) no laboratório de gastronomia do UniFavip/Wyden.

Os jurados Suellen Sane, Edna Suely e João Paulo se surpreenderam com a execução das receitas.

Além do sabor de cada uma delas, tiveram que escolher o melhor prato em que o ovo é o principal ingrediente.

Em segundo lugar na escolha do júri ficou o “Pavê de Ovos”, de Maria Vilma, e na terceira colocação a receita “Ovos recheados à la Huancaína”, de Samuel Chaves.

eudes 2

 

O QUE TODOS JÁ SABIAM – Celpe é a empresa mais reclamada no Procon-PE. O Bradesco e a TIM também.

celpebradescotim

A Celpe, a TIM e o Bradesco são as principais empresas que atendem mal a população. Os consumidores reclamam de cobrança indevida e/ou abusiva e serviço mal executado

Diario de Pernambuco

O Procon-PE registrou 2.733 reclamações no mês de maio. O primeiro lugar ficou novamente com a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), com 132 reclamações. Uma das novidades, entre o ranking, é a empresa dos Correios.

 Os consumidores reclamam de cobrança indevida e/ou abusiva e serviço mal executado, no caso da Celpe. Já sobre os correios, a principal queixa é a demora na entrega de encomendas.

O segundo lugar do ranking ficou o grupo econômico Bradesco, onde estão o Banco Bradesco, a Bradesco Cartões, Bradesco Vida e Providência, Bradesco Saúde, Bradesco Promotora e Bradesco Capitalização, totalizando 92 reclamações. O terceiro e quarto lugar ficou com as telefonias.

Para abrir uma reclamação no Procon-PE, o consumidor deve comparecer a uma das 59 unidades. É obrigatório levar carteira de identidade, CPF e comprovante de residência, além de documentos que possam comprovar a reclamação, como nota fiscal, ordem de serviço, fatura, comprovante de pagamento, contrato, entre outros.

Ranking das empresas mais reclamadas em maio de 2018

1º – Celpe – 132
2º – Grupo Econômico Bradesco – 92
3º – TIM Nordeste – 67
4º – OI Móvel e OI Fixo – 62
5º – Correios – 61
6º – Compesa – 56
7º – Grupo Econômico Caixa Econômica Federal – 51
8º – Grupo Econômico Itaú – 52
9º – Banco Santander  – 36
10º – Claro S/a, Claro-NET, Claro TV Embratel – 35

O MEDO DO JULGAMENTO DO ELEITOR – Políticos buscam ‘disputa mais fácil’ para não perder mandato

Temendo rejeição nas urnas, políticos profissionais vão disputar cargos abaixo dos que já ocuparam ou já tiveram. Movimento está mais vísivel depois de denúncias de corrupção

Jornal Estado de Minas

Fora Todos ElesEm busca de sobrevivência, políticos profissionais reagem à possibilidade de rejeição e buscam novas alternativas para se eleger. Em todas as esferas do poder, garantem especialistas, pipocam candidatos em busca de cargos eletivos.

Essa polarização cria dificuldades eleitorais aos que não têm uma base forte nem trazem consigo grandes realizações durante a vida pública.

Quem não se garante terá que recuar e encontrar novas maneiras, ainda que com menos votos e, decorrente disso, menos poder, para não deixar o jogo e perder seu capital político.

Os interessados em continuar exercendo mandatos eletivos terão que ser mais fortes do que quem não está na política ou até mesmo dos que pretendem voltar a ela. “É uma questão de sobrevivência, prioridade mesmo. O cenário mostra que governadores sem votos para reeleição no cargo vão tentar ‘descer’ para deputado ou senador. A tarefa dos políticos profissionais é continuar perto do poder. Aí, sim, você consegue galgar outras funções, como a presidência de estatais e ministérios. O importante é não sair”, analisou o responsável pela campanha de um dos candidatos ao governo de Goiás.

A lista de exemplos é enorme, especialmente entre os petistas. Com claras dificuldades para se reeleger no Paraná, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, que responde por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Lava-Jato, deverá disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Pesquisas apontam que há poucas chances de a porta-voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobreviver à disputa eleitoral sem ajuda dele.

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT-MG), que sofreu impeachment há dois anos, chegou a mudar o domicílio eleitoral para tentar uma vaga no Senado. É, inclusive, a mais bem cotada para representar os mineiros na Casa, com mais de 25% das intenções de voto. Também deve passar pelo “downgrade” o senador Humberto Costa (PT-PE), que, com baixa popularidade, sai do Senado rumo à Câmara.

A dificuldade nas urnas alcançou também o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que outrora candidato a presidente, deve transitar em alguma vaga no Congresso e corre o risco até de não se candidatar a nada. Essa última possibilidade é falada entre os tucanos, que defendem o descanso da imagem dele. “Ele precisa tentar voar mais baixo. Os tempos de glória, quando se tentava subir para a Presidência da República, passaram”, explica um assessor do partido no parlamento.

Na Câmara, a deputada federal Brunny (PR-MG), que trocou o domicílio eleitoral de Minas Gerais para o Distrito Federal, ilustra uma provável fraqueza nas urnas. Em vez de ficar sem mandato, ela vai se candidatar a deputada estadual em Brasília. A parlamentar disse que “apenas aceitou o convite”, mas, internamente, seus próprios assessores duvidavam de reeleição em âmbito federal.

O ex-governador Beto Richa (PSDB-PR), cuja imagem foi arranhada por causa de uma delação premiada, também vê mais viabilidade em uma disputa “menor”. Vai tentar ocupar uma das 81 cadeiras do salão azul. “Sem dúvida, um passo para trás. Mas a ideia é dar dois à frente”, declararam aliados.

Para o cientista político Rui Tavares Maluf, da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, o movimento demonstra que a velha fórmula de governar é ineficaz. “O candidato não quer correr o risco de se sujeitar a uma votação baixa porque, além de fragilizar a imagem, pode o deixar sem nada. O que os políticos profissionais sabem fazer além de governar e legislar?”, questionou.

Segundo Maluf, o movimento não é inédito mas está mais visível que nos últimos anos. “Pode ser a tônica das eleições, que têm um contorno particular. Quando o sistema ainda não estava tão tumultuado, houve movimentos que ninguém reparou. A mudança foi a ordem política e a grandeza dessas quedas exposta pela imprensa”.

Seleção brasileira sem craque pernambucano

aseleção-brasileiraNo passado fizeram parte da Canarinha os pernambucanos Ademir Menezes, Vavá, Zequinha, Rildo e Manga, Rivaldo, Ricardo Rocha,  Juninho Pernambucano, Josué e Hernandes.

Blog de João Alberto – Diario de Pernambuco

Pela primeira vez desde 1990, a seleção brasileira vai disputar a Copa do Mundo sem qualquer pernambucano no elenco.

Em 1990 e 1994, Ricardo Rocha; em 1998 e 2002, Rivaldo.

Em 2006, Juninho Pernambucano, em 2010, Josué e em 2014, Hernandes.

Antes outros pernambucanos estiveram em Copas do Mundo anteriores: Ademir Menezes, Vavá, Zequinha, Rildo e Manga.

Forró pode virar Patrimônio Cultural do Brasil

lucianaA inscrição do Forró no livro de Patrimônio Cultural do Brasil será tema de audiência pública na Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, do Congresso Nacional.

Informação do Blog de João Alberto – Diario de Pernambuco

Vestido-forró-4O debate acontece quarta-feira, por requerimento da deputada Luciana Santos (PCdoB/PE), titular da Comissão e presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura, e do deputado Daniel Almeida (PCdoB/BA).

O registro da candidatura a patrimônio imaterial se deu em meio a diálogos da Associação Cultural Balaio Nordeste com forrozeiros atuantes no Estado da Paraíba, que passaram a organizar o “Fórum Forró de Raiz” e está sendo analisado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional (Iphan), vinculado ao Ministério da Cultura.

A inscrição depende ainda de um processo que inclui pesquisas e análises sociais e antropológicas.

Para falar aos parlamentares sobre o processo foram convidados as representantes do Fórum Nacional do Forró Tereza Accioly e Rozania Ribeiro, coordenadoras do coletivo em Pernambuco e Bahia, respectivamente; além do músico e reitor da Universidade Estadual da Paraíba, Antônio Rangel Junior.

A reunião espera contar, ainda, com a presença da presidente do IPHAN, Kátia Bógea, e com a presidente da Associação Cultural Balaio Nordeste (ACBN) e coordenadora nacional do Fórum, Joana Alves.

Polícia Federal veta visita de assessor de papa Francisco a Lula

papa lulaO assessor do papa Francisco  para assuntos de justiça e paz, Juan Grabois, foi impedido de visitar o ex-presidente Lula pela superintendência da PF, sob argumento de que não é líder religioso.

PARANÁ PORTAL – Texto Roger Pereira – Foto Eduardo Matysiak agência

Grabois trouxe um rosário para Lula, que disse ser enviado pelo Papa. A Polícia Federal comprometeu-se em entregar o rosário a Lula.

A visita estava programada para às 16h desta segunda-feira, dia em que o ex-presidente vem recebendo visitas religiosas após autorização da Superintendência da Polícia Federal do PAraná, em acordo negociado com a defesa de Lula.

Segundo o próprio Grabois, sua visita foi vetada pelos policiais federais por ele não ser um sacerdote consagrado. “Muito preocupado com a deterioração da democracia no país, vinha para uma visita que já estava previamente agendada e fui surpreendido pelo impedimento de visitá-lo”, disse.

“Não compreendo as autoridades me barrarem por questões teológicas, por considerarem que não sou um sacerdote consagrado. Todos os batizados somos discípulos religiosos e temos uma missão a cumprir. Surpreende que as autoridades daqui não tenham esse conhecimento”, acrescentou. “Visitei presos em situações similares em vários locais do mundo e nunca me deparei com uma negativa desta natureza”, disse.

Grabois disse que, além do rosário, deixou uma carta manuscrita a Lula e espera receber uma resposta.

CHAPA DE TEMER EM PERNAMBUCO – Oposição confirma Armando para o governo de Pernambuco e Mendonça para o Senado

Sem novidades, o bloco de oposição Pernambuco Vai Mudar anunciou nesta segunda-feira (11), após dois adiamentos, metade da chapa majoritária para este ano.

Com informações do Blog de Jamildo, foto Amanda Miranda (Jornal do Commercio)

chapaO senador Armando Monteiro Neto (PTB) vai disputar o governo, reeditando o pleito de 2014 contra Paulo Câmara (PSB).

O deputado federal Mendonça Filho (DEM) será um dos candidatos ao Senado.

As outras duas vagas – de vice e para outro postulante para senador – ficaram em aberto, uma reservada para o PSDB e outra aguardando novos aliados, entre eles possivelmente o PSC do deputado estadual André Ferreira.

Hoje na base de Paulo Câmara, Ferreira tenta uma vaga ao Senado, mas pode perder o espaço caso a aliança dos socialistas com o PT seja consolidada.

Se isso acontecer, uma vaga seria do deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB) e a outra para o senador petista Humberto Costa tentar reeleição.

Evitando ser limado, Ferreira estaria se articulando também com a oposição. Na chapa governista, apenas o nome de Paulo Câmara é dado como certo.

O anúncio da chapa havia sido marcado inicialmente para 20 de abril, mas foi adiado devido às costuras eleitorais e, comenta-se nos bastidores, à indefinição do PT. Depois, foi previsto para o dia 28 e, em seguida, transferido para o dia 4, quando foi postergado novamente devido à greve dos caminhoneiros.

Os nomes, porém, foram revelados em meados de maio.

O grupo liderado por Armando e Mendonça, além do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) e do deputado federal Bruno Araújo (PSDB), fez seu primeiro ato público em agosto do ano passado, em Caruaru, no Agreste.

Era um ato do Ministério das Cidades, ainda sob o comando do tucano. “Oxalá, Caruaru e Petrolina tenhamos mais uma vez se unindo para poder anunciar que Pernambuco espera um novo tempo, de trabalho, de progresso, de construção e de transformação”, afirmava FBC, nos últimos dias como filiado no PSB.

  O senador chegou a ser um dos principais cotados para o governo. No entanto, a insegurança jurídica provocada pela briga que ainda se arrasta pelo comando do MDB o afastou da posição.

 Hoje, atua como um dos principais articuladores políticos da chapa. FBC entrou no partido que há décadas está com o grupo de Jarbas Vasconcelos para tentar tirá-lo da base de apoio a Paulo Câmara, mas, na Justiça, o atual presidente, o vice-governador Raul Henry, conseguiu se manter no cargo. Sem conseguir, manter o MDB, o filho dele, o deputado federal Fernando Filho, entrou no DEM.

Antes de definir a chapa, a oposição fez três quatro eventos nas regiões onde as lideranças têm base eleitoral.

O primeiro foi em dezembro, no Recife. O segundo, em janeiro, em Petrolina, no Sertão, reduto de Fernando Bezerra Coelho. O terceiro, em março, em Caruaru, onde a prefeita é a tucana Raquel Lyra.

O último foi já em abril, em Ipojuca, cidade governada pelo PTB de Armando Monteiro.

Em meio aos eventos, parte da frente, tentou incentivar a candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes, buscando evitar uma união entre PT e PSB.

Usaram a estratégia de lembrar que socialistas votaram a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e Bruno Araújo, um dos principais negociadores do afastamento da petista, chegou a afirmar que o próprio Paulo Câmara articulou com ele o processo, o que foi negado pelo governador.

Do outro lado, o PSB tem tentado atribuir à oposição a pecha de ‘palanque de Temer’, tentando colar a imagem dos adversários à do presidente, cuja reprovação chegou a 82% na pesquisa Datafolha divulgada nesse domingo (10).

A história de Sílvio Santos ganhará espaço nos cinemas

SSConsiderado uma das maiores referências da TV Brasileira, Sílvio Santos vai ganhar um filme.

A biografia conta a história do apresentador desde a época em que era camelô, vendendo canetas no Rio de Janeiro.

Quanto a escolha do protagonista para dar vida ao dono do SBT nas telas do cinema, Rodrigo Faro foi o escolhido, sob convite do produtor D´Ávila. O trabalho já foi autorizado pela Ancine e está em fase de captação de recursos.