PSB chega a 70 anos de fundação ‘rachado’ e à procura de uma liderança

Uma avaliação do blogueiro de Petrolina, Carlos Britto

Blog de Carlos Britto, Petrolina-PE.

edu e arraesUma das legendas que mais cresceram nas últimas eleições, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) completou ontem (6) seu 70° aniversário de fundação bem diferente do que surgiu.

Se com os ex-governadores de Pernambuco, Miguel Arraes e Eduardo Campos, o PSB tinha rumo, agora está sem norte e carecendo de uma liderança de peso – como eram o avô e o neto.

Em Petrolina, por exemplo, os socialistas brigaram entre eles mesmos para ver quem disputava a Prefeitura de Petrolina nas eleições de 2008 e de 2016. Se deu mal na primeira, e venceu na segunda.

Nos dois pleitos, porém, as feridas ficaram expostas a ponto de um dos principais nomes da legenda – o senador Fernando Bezerra Coelho – estar sendo cortejado por outros partidos. E não será surpresa se, para 2018, ele estiver num novo endereço.

Por enquanto é muito cedo afirmar o que pode acontecer ao PSB, que apoiou o impeachment da presidente Dilma Roussef e, inicialmente, chegou a respaldar o governo de Michel Temer, mas depois caiu fora. Todos os atos, porém, implicam em consequências. Muito em breve se saberá quais delas ficaram reservadas aos socialistas.

PSB vive crise de identidade três anos após morte de Eduardo Campos

psbCom o vácuo de liderança deixado pelo presidenciável Eduardo Campos, cuja morte completa três anos no domingo (13), o Partido Socialista Brasileiro se vê na iminência de uma debandada, às voltas com divergências internas e discordâncias sobre os rumos programáticos.

Agregador e com visibilidade, Campos atraiu nomes dificilmente identificáveis com a bandeira socialista e que hoje puxam a fila de dissidências -com Heráclito Fortes (PI) à frente, mais de dez deputados dizem estar com “a faca nas costas” e devem migrar para o DEM.

Ruralistas filiados por Campos hoje batem cabeça com “socialistas históricos” como o presidente da sigla, Carlos Siqueira, em debates como o das reformas econômicas. A decisão de votar a favor da denúncia contra Michel Temer coroou a divisão pessebista na Câmara.

No dia 2, a líder Tereza Cristina (MS) orientou a bancada a votar pelo prosseguimento da ação, mas antecipou que votaria de forma diferente. Por fim, a sigla deu 22 votos a favor da denúncia e 11 contra.

O clima entre a direção e os deputados já estava azedado. Na véspera, Siqueira enviara carta a Cristina, com cópia a todos os deputados, dizendo que, se ela estivesse constrangida, que repassasse “encarecidamente” a tarefa a um vice-líder. “Achei meio machista”, ela reagiu.

Em abril, a deputada já havia sido destituída por Siqueira da presidência do diretório do PSB em Mato Grosso do Sul ao liberar o voto da bancada na reforma trabalhista, mesmo após o PSB decidir que se oporia ao texto.
A reunião que definiu a posição foi tensa, com discussões exaltadas entre Siqueira e os ruralistas.

O presidente se diz parte da “ala ideológica” do partido, que tenta preservar a memória de Miguel Arraes (1916-2005) e o programa histórico do PSB. Ele afirma que não quer passar “como leniente”.

“O DNA do PSB é de esquerda, não tem como mudar. Mas a gente pode encontrar o equilíbrio”, diz Jonas Donizette, prefeito de Campinas (SP) e presidente da Frente Nacional de Prefeitos.

Para ele, o partido precisa se modernizar. “O estatuto fala em desapropriação de terra. Nem a China comunista tem isso mais! Às vezes parece um dogma, é como se estivesse ferindo as memórias dos antigos líderes.”

Em discurso no aniversário de 70 anos do partido na quinta (10), em frente à direção e militância, Siqueira pregou “coerência”, chamou a reforma da Previdência de “insanidade” e disse que “não se pode discordar do ideário de um partido em que se entra”. Apesar de a cúpula da legenda estar presente, líderes das bancadas na Câmara e Senado faltaram ao encontro.

DIREÇÃO

Sem Campos, o comando pessebista passou a ser disputado, de um lado, pelo grupo ligado ao ex-governador, que inclui Siqueira e o atual governador de Pernambuco Paulo Câmara, e de outro, pelo vice-governador de São Paulo, Márcio França.

O paulista, favorável à incorporação de quadros não necessariamente identificados com as bandeiras tradicionais do PSB, ganha força com a perspectiva de assumir o governo de São Paulo após eventual renúncia de Geraldo Alckmin para concorrer na eleição de 2018.

“O ideal seria todo mundo pensar igualzinho, mas não vejo como isso pode acontecer”, diz França. “Se quiser ser grande, o partido não pode ser 100% homogêneo.”

Ele reconhece que a ausência de Campos “é uma avalanche, a gente perdeu o fio condutor”. E defende a aliança com Alckmin em eventual candidatura à Presidência, após anos de apoio ao PT. “O PSB manteve a posição, quem mudou foi o PT”, justifica.

Correligionários da Bahia, Paraíba e Amapá não pensam assim. Esses diretórios devem se aliar à chapa petista em 2018. A senadora Lídice da Mata (BA), por exemplo, diz que “não vê” o partido com Alckmin e diz que se a direção tivesse fechado questão em 2014 pelo apoio a Aécio, seu grupo sairia do partido.

No Sul, Beto Albuquerque, que foi vice de Marina Silva em 2014, quer que o partido o lance como candidato a presidente e só decida apoio caso fique fora de um eventual segundo turno.

“É importante que, no momento que o país vive, o PSB expresse seu pensamento. Não acho que isso colocaria em risco disputas estaduais.”

GRAVATÁ – Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Rio Ipojuca (PSA Ipojuca) financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), liberou mais R$15 milhões para continuidade das obras.

Obra de esgotamento sanitário em Gravatá segue em ritmo acelerado

eta 3Governo de Pernambuco, através da secretaria Executiva de Recursos Hídricos, por meio do Programa de Saneamento Ambiental da Bacia do Rio Ipojuca (PSA Ipojuca) financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), liberou mais R$15 milhões para execução dos sistemas de esgotamento sanitário em Pernambuco.

A implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) em Gravatá segue em ritmo acelerado, com 65% da Estação de Tratamento de Esgoto executada, também já foram feitas 276 ligações domiciliares e implantados 1.400 metros de ramal de calçada.

“Além de melhorar as condições sanitárias da área urbana do município, também gera emprego e renda para a região. Estão sendo investidos R$ 27 milhões só nessa fase, que busca aumentar a cobertura de esgotamento sanitário nas cidades que são banhadas pelo manancial no estado”. Comenta Mário Cavalcanti, Secretário Executivo de Recursos Hídricos.

A primeira etapa da obra movimenta a economia da cidade por meio da contratação de mão de obra local. Com média mensal de 70 trabalhadores, entre pedreiros, encanadores, serventes e calceteiros, estão atuando no canteiro da obra.

As obras da primeira etapa preveem a implantação de 80.000 metros de rede coletora e de redes condominiais, além da conclusão da estação elevatória (unidade de bombeamento) e da construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Com essa etapa implantada, 30% da área urbana de Gravatá terá coleta e tratamento de esgotos e vai beneficiar 35 mil pessoas. A previsão é finalizar este trecho da obra até fevereiro de 2018.

Em paralelo à obra, estão sendo desenvolvidas ações sociais e de educação sanitária com a população durante a implantação do sistema de esgotamento, além de ações ambientais, como a arborização urbana, onde será possível realizar o plantio de 300 mudas. Na Estação de Tratamento de Esgoto, para compor o cinturão verde, serão plantadas cerca de 1300 plantas. E ainda será feito o reflorestamento da área de preservação permanente situada próxima ao terreno da Estação.

O Agrinordeste chega a 25 ª edição este ano, consolidado como o maior seminário de agricultura do Norte e Nordeste.

pio agriO evento, que acontece de 23 a 25 de agosto, no Centro de Convenções, teve início  partir de um convênio firmado entre a CNA e o Ministério da Agricultura, que viabilizou a realização de cinco grandes seminários, em diversas localidades do País.

pio guerra“O objetivo era levar tecnologia, conhecimento e informações de mercado, abordando assuntos de interesse voltados para os produtores de cada região”, lembra Pio Guerra, presidente da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe).

 Entre eles, apenas o Agrinordeste manteve-se e cresceu, tornando-se modelo para outros estados e viabilizando a inserção definitiva de Pernambuco no calendário de eventos do setor. Para se ter ideia do crescimento, atualmente, a mostra reúne mais de dois mil inscritos, contra os 200 registrados no primeiro ano. Além disso, em 2017, deve receber mais de seis mil visitantes.

O intuito é continuar crescendo, saindo em 2018 do hall do Teatro Guararapes para o galpão de feiras e eventos do Centro de Convenções, com a expectativa de triplicar o número de estandes.

 “Começamos com um dia de seminário, que reunia todos os setores da agropecuária. Com o passar dos anos, as palestras foram separadas por área de conhecimento”, fala ele.

Em 2017, o ciclo de palestras oferece 70 painéis, que acontecem simultaneamente em sete salas, abordando temas relevantes sobre atualidades, avicultura, bovinocultura de leite, cana-de-açúcar, caprinovinocultura, fruticultura, horticultura, além de palestras sobre turismo rural.

“É uma oportunidade de obter informações, tirar dúvidas e debater diretamente com os palestrantes locais e de outras partes do mundo. Essa interação vem elevando a satisfação dos participantes”, destaca Guerra.

 O Agrinordeste traz ainda a Feira de Produtos do Campo e o Espaço Sabor no Campo, que traz 16 estandes com comidas típicas e diversas regiões. Ambos com entrada gratuita. “É uma oportunidade para que o consumidor final adquira diretamente do produtor e saboreie as receitas de nossos melhores chefs de cozinha”, ressalta o presidente.

 Por sua vez, o espaço Sabor no Campo congrega 10 chefs de cozinha renomados na região e mais cinco de destaque nacional e ou internacional. “Eles falam sobre as experiências e realizam degustação de suas iguarias, criando um grande ambiente gastronômico”.

Segundo ele, a culinária vem aproximando a sociedade urbana do ambiente agro. “As pessoas vêm interessas em aprender mais sobre gastronomia, para conhecer pessoalmente os chefs ou mesmo para participar dos concursos dessa área”, explica.

 O Agrinordeste é uma realização da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe), com o apoio do Sebrae, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco (Senar/PE), do Banco do Nordeste e da Secretaria Estadual de Agricultura e Reforma Agrária.

A organização estima que cinco mil pessoas participem do evento, durante os três dias de evento.

SAUDADES DE UM AMIGO. 10 DE AGOSTO. Nascia Eduardo Campos. 13 DE AGOSTO. Morria tragicamente na queda de um avião.

Momentos com Eduardo Campos. Com uma talha do artesão Gravataense Galdino, no Natal de 2013. Numa entrevista na casa do deputado constituinte Gilson Machado Guimarães. Com um quadro do artista plástico gravataense Cleuton Azevedo no Natal de 2014. Momentos marcantes.

edu e castanha

????????????????????????????????????

Entrevista história para Rádio Gravatá FM, durante a festa de aniversário do deputado constituinte Gilson Machado Guimarães.

eduardo_campos_e_cleuton eduardo_campos_e_cleuton_1

RETALIAÇÃO – PMDB pune Jarbas pelo voto contra Temer

Do Blog de Mágno Martins

JARBAS VASCONCELOSO presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (RR) enviou, há pouco, ao deputado Jarbas Vasconcelos e mais quatro parlamentares do PMDB, a decisão da executiva do partido de puni-los com a suspensão das atividades partidárias por um prazo de 60 dias, em razão de terem contrariado a orientação da liderança peemedebista na Câmara, pelo voto contra o pedido de investigação do presidente Michel Temer feito pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ao lado, o documento assinado por Jucá.

 

Reação de Jarbas à punição do PMDB

“No meu entendimento, essa punição oficializada, hoje, pelo partido é algo esdrúxulo e completamente sem sentido. Só reforça minha avaliação de como é fraca e despreparada a direção nacional do PMDB hoje. Fui um dos fundadores do MDB, que posteriormente deu origem ao PMDB, e ao longo de toda a minha trajetória dentro do partido, nunca vi algo parecido. O respeito às ideias e posicionamentos é algo fundamental, e o caminho pelo qual está seguindo hoje o PMDB nacional ignora completamente essa condição, que é primordial para todos que exercem a política e principalmente para quem está a frente de qualquer partido numa democracia” .

Jarbas Vasconcelos

E AGORA? Bandido que comandou o assalto cinematográfico à BRINKS, Willames Aguiar da Silva, costumava distribuir benesses pelas comunidades de Olinda, porque tinha pretensões eleitorais e chegou a financiar candidatos a cargos políticos.

O ASSALTO CINEMATOGRÁFICO OCORREU NA MADRUGADA DE  DE FEVEREIRO. A POLICIA TEM QUE APURAR ESSA HISTÓRIA E DIVULGAR OS RESULTADOS PARA POPULAÇÃO FICAR SABENDO.

brinkFontes da Polícia Civil de Pernambuco teria revelado em entrevista coletiva à repórteres da grande Imprensa que o líder da quadrilha que comandou o assalto cinematográfico à BRINKS, no Recife, o agente de Trânsito da cidade de Olinda, de 24 anos. Willames Aguiar da Silva, costumava distribuir benesses pelas comunidades porque tinha pretensões de concorrer a cargos eleitorais.

O bandido teria revelado à Policia que, em diversas oportunidades, havia distribuído dinheiro que conseguia com os assaltos para ajudar candidatos nas campanhas políticas no Estado. Não revelou quem seria os políticos que ajudava. Mas. a Policia já começou a investigar sobre o assunto. Mesmo sendo assaltante perigoso, mantinha seu emprego e atividade de agente de Trânsito da Prefeitura de Olinda.

O violento assaltante de bancos Willames Aguiar da Silva, estaria preso e passando por investigações. Ele e sua organização criminosa teria ligações com o PCC e ramificações em outros Estados e também financiava campanhas políticas, mas não disse quais.

A operação que prendeu e investiga o assaltante foi chamada de Durga e comandada pelo delegado titular da Roubos e Furtos, João Gustavo Godoy.

Fica uma pergunta no ar. Que campanhas políticas teriam sido financiadas pelo lider Willames Aguiar da Silva e seus comparsas assaltantes a banco, presos recentemente, cujos nomes estão sendo guardados a sete chaves pela SDS.

O ASSALTO A BRINK, NO BAIRRO DA ESTÂNCIA NO RECIFE.

O assalto divulgado pela Imprensa como “cinematográfico”, com repercussão nacional, aconteceu na madrugada do dia 21 de fevereiro de 2017 na sede da Empresa de Transportes de Valores Brink no bairro da Estância, Zona Oeste do Recife.

Foi uma ação planejada, onde foram utilizados armamentos pesados, bombas para explodir os cofres, numa ação que mobilizou muitos bandidos e teve o envolvimento de pessoas que foram violentamente confiscadas e colocadas como, em clima de horror, como escudo de defesa para os bandidos.

A Policia estimou que foram roubados mais de 60 milhões de reais e o emprego de armas de grosso calibre.

POLÍTICA – UMA OPINIÃO ABALIZADA, MESMO NA CONTRAMÃO DAS CORRENTES DE OPINIÃO. “Adilson Gomes não vê momento ruim no PSB”

Secretário-geral do partido no Estado afirma que muitos dos que ameaçam desfiliação, vieram para o partido pelo projeto de Eduardo Campos. Ele falou em entrevista a Rádio Folha FM.

ADILSONNo momento em que completa 70 anos, o PSB sofre ameaça de uma debandada da bancada federal.

Mas isso não preocupa o secretário-geral do PSB em Pernambuco, Adilson Gomes. No partido desde 1990, ele acredita que os que ameaçam sair não têm raízes socialistas.

Segundo ele, muitos que façam em deixar a sigla, apostaram no projeto nacional do ex-governador, que morreu em agosto de 2014..

“Não (vive o pior momento). O partido vive essa ebulição que o País atravessa. Eduardo, com o projeto nacional que tinha, recebeu uma série de apoios em vários Estados.

São companheiros que vieram para o PSB pelo projeto de Eduardo. Com a morte dele, ficaram órfãos, pois não aceitam as diretrizes socialistas”, afirmou Adilson Gomes, em entrevista à Rádio Folha FM, 96,7.

Pequeno asteroide passará perto da Terra em outubro

Um asteroide do tamanho de uma casa vai passar pela Terra a uma distância de cerca de 44.000 quilômetros em outubro, dentro da órbita da Lua, disseram astrônomos nesta quinta-feira.

coMETAA rocha espacial passará a um oitavo da distância entre a Terra e a Lua – um pouco além dos nossos satélites geoestacionários mais distantes, que orbitam a cerca de 36.000 quilômetros do planeta, de acordo com a Agência Espacial Europeia (ESA). “Não vai atingir a Terra”, disse Detlef Koschny, da equipe de pesquisa “Near Earth Objects” (objetos perto da Terra) da ESA. “Essa é a coisa mais importante a se dizer”.

O asteroide, batizado de TC4, passou pela primeira vez pelo nosso planeta em outubro de 2012, a aproximadamente o dobro da distância, e tem entre 15 e 30 metros de comprimento. Os cientistas já esperavam que o asteroide voltasse a passar perto da Terra este ano, mas não sabiam a que distância.

Recentemente, o Very Large Telescope do Observatório Europeu do Sul, no Chile, conseguiu rastrear a rocha e determinar sua distância. “Está muito perto”, disse à AFP Rolf Densing, que dirige o Centro Europeu de Operações Espaciais em Darmstadt, Alemanha, acrescentando que não há motivo para preocupação.