Vida Urbana

Crônica de uma Rua Esculhambada

 

A rua já não muito larga. As calçadas são irregulares por conta do declive e das invasões de algumas construções ao passeio público. As pessoas são obrigadas a caminhar na rua, dividindo espaço com motociclistas e veículos estacionados. E quando dois caminhões ficam estacionados um de cada lado da rua. Os engarrafamentos acontecem com frequência.

Mas, o maior problema não são só esses. Os buracos na rua e a má conservação do calçamento fazem da Amaury de Medeiros o caminho do caos.

Muita gente reclamando e o BLOG não pode calar.

Oportunidade

É só ficar atento para conseguir cópia do Edital e fazer a inscrição. O emprego é dos bons.

 

Saiu no Diário Oficial da União desta segunda-feira (4) autorização para que o Ministério da Fazenda (MF) abra concurso público com oferta de 1.026 vagas.

O cargo em questão é o de assistente técnico-administrivo. De acordo com o Ministério do Planejamento, o edital de abertura deverá ser lançado até maio de 2014.

O último concurso do órgão foi para analistas técnico-administrativos (nível superior), lançado em junho deste ano, com 347 vagas.

De acordo com a Escola de Administração Fazendária (Esaf), a banca organizadora da seleção, foram registrados 24.292 inscritos – o que gerou uma concorrência de 70 participantes para cada chance em aberto. Os salários variaram de R$ 3.977,42 a R$ 5.081,18. Houve provas objetivas e discursivas.

Oportunidade

orquestra

A Prefeitura do Recife deve realizar concurso público e preencher 35 cargos vagos na Orquestra Sinfônica da cidade. 

A seleção deve ocorrer no início do próximo ano, provavelmente em fevereiro, cogita o maestro Marlos Nobre, atual regente titular e diretor artístico do conjunto.

A admissão pretende corrigir um déficit de anos na formação do grupo, hoje com substitutos improvisados e falta de melhores condições de trabalho. “A questão do concurso é prioritária. Conversei com o prefeito Geraldo Julio longamente sobre o assunto e tanto ele quanto a secretária (de Cultura) Leda Alves estão empenhados nisso”, garante.

O maestro avalia a abertura do edital como uma necessidade não só da orquestra, mas da própria cena musical do Recife. “Muita gente se forma aqui, mas acaba indo embora para outras cidades e estados por conta dos baixos salários e da falta de condições básicas”, diagnostica.

Marlos diz ter notícias de instrumentistas locais trabalhando fora que não escondem o desejo de voltar a Pernambuco para fazer o concurso e atuar no estado. “Aqui eles têm família, amigos. Muitos vão para fora e sentem falta desse acolhimento”.

A orquestra funciona, hoje, com 75 profissionais fixos – e, desde setembro, conta com o trabalho adicional de 15 músicos emprestados do Centro de Criatividade Musical de Pernambuco e do Conservatório Pernambucano de Música (eles têm idade entre 16 e 25 anos).

De acordo com o regente, a seção das cordas é a mais deficiente, principalmente os primeiros violinos. A percussão, além da falta de músicos, sofre com a carência de instrumentos. “Já estão sendo feitas licitações para comprar tímpanos, vibrafone, xilofone, campanas”, adianta Marlos.