Presença

PR-RENAN-CORAL-NA-CAMARA

Os vereadores da base governista elogiaram em bloco a presença do prefeito e seus secretários na reunião do legislativo, ontem à noite.

 

Depois de retornar dos Estado Unidos, onde passou 9 dias viajando com a família, o prefeito Bruno Martiniano (PTB) compareceu na noite de ontem a reunião da Câmara dos Vereadores para um encontro com os legisladores e falar um pouco sobre alguns projetos do Executivo. Estava acompanhado dos secretários Marcos Paiva, Fernando Resende, Ivan Simões, Alex Andrade e Gabriel Tenório.

Foi uma noite diferente com a participação do pastor Renan e do Coral Shalon da Igreja Batista Renovada que se apresentou os vereadores e o público presente.

O prefeito Bruno Martiniano recebeu rasgados elogios dos vereadores Elson Campos, Régis da Compesa, Neto da Banca que falaram da Tribuna com apartes de Ana de Jaci, Angélica de Ademir, Léo Giestosa e Pedro Martiniano. Todos pregaram a unidade da Casa com o Executivo e elogiaram o prefeito e sua equipe.

O secretário de Governo Marcos Paiva foi para tribuna falar de democracia, unidade e relacionamento político entre os poderes, necessidade de unir forças e a competência dos políticos e lideranças.

O prefeito Bruno Martiniano também falou. Do cargo que ocupa, das ações que vem realizando, do dever cumprido a todos instante, do inicio de novas obras e da manutenção da cidade e da determinação de fazer o município crescer e superar todas as dificuldades, do relacionamento com os servidores que estão recebendo em dia e da elaboração do novo Código de Obras numa parceria com a Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.

O secretário de Turismo Fernando Resende também foi para a Tribuna. Defendeu com veemência a performance do prefeito Bruno Martiniano e destacou entre outras coisas a realização dos festejos de Natal em Gravatá, que segundo ele, terá grandes proporções.  .

A polêmica da noite ficou por conta da votação das indicações e projetos de lei enviados pelo executivo, quando o vereador Luiz Prequé pediu vistas, para novas análises dos projetos que visa regulamentar descontos do IPTU visando aumentar a arrecadação e facilitar aos contribuintes pagarem seus impostos, e outro pedindo a permuta de áreas para implantação de um projeto imobiliário na cidade.

Houve discussão entre os vereadores Luiz Prequé que pediu vistas e os vereadores Elson Campos, Neto da Banca e Pedro Martiniano que defendiam os interesses do executivo nas referidas matérias em votação.

 

 

JOAQUIM NETO

A Mesa Diretora da Câmara distribuiu com os vereadores a comunicação enviada pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE, que recomenda aos vereadores votarem pela rejeição das Prestações de Contas da Prefeitura de Gravatá, exercício de 2006, responsabilidade do então prefeito Joaquim Neto. Esta é a segunda prestação de contas rejeitadas pelo TCE que chega à Câmara este ano. A primeira foi no último mês de maio quando as contas de Joaquim Neto de 2008 foram rejeitadas por 11 X 4. tornando-o inelegível por oito anos e seu nome no cadastro dos Ficha Suja do TRE.

Cabe à Câmara Municipal conceder um prazo para a defesa do ex-prefeito e depois colocar as contas rejeitadas pelo TCE  em votação.

Vida Urbana

Crônica de uma Rua Esculhambada

 

A rua já não muito larga. As calçadas são irregulares por conta do declive e das invasões de algumas construções ao passeio público. As pessoas são obrigadas a caminhar na rua, dividindo espaço com motociclistas e veículos estacionados. E quando dois caminhões ficam estacionados um de cada lado da rua. Os engarrafamentos acontecem com frequência.

Mas, o maior problema não são só esses. Os buracos na rua e a má conservação do calçamento fazem da Amaury de Medeiros o caminho do caos.

Muita gente reclamando e o BLOG não pode calar.

Oportunidade

É só ficar atento para conseguir cópia do Edital e fazer a inscrição. O emprego é dos bons.

 

Saiu no Diário Oficial da União desta segunda-feira (4) autorização para que o Ministério da Fazenda (MF) abra concurso público com oferta de 1.026 vagas.

O cargo em questão é o de assistente técnico-administrivo. De acordo com o Ministério do Planejamento, o edital de abertura deverá ser lançado até maio de 2014.

O último concurso do órgão foi para analistas técnico-administrativos (nível superior), lançado em junho deste ano, com 347 vagas.

De acordo com a Escola de Administração Fazendária (Esaf), a banca organizadora da seleção, foram registrados 24.292 inscritos – o que gerou uma concorrência de 70 participantes para cada chance em aberto. Os salários variaram de R$ 3.977,42 a R$ 5.081,18. Houve provas objetivas e discursivas.

Oportunidade

orquestra

A Prefeitura do Recife deve realizar concurso público e preencher 35 cargos vagos na Orquestra Sinfônica da cidade. 

A seleção deve ocorrer no início do próximo ano, provavelmente em fevereiro, cogita o maestro Marlos Nobre, atual regente titular e diretor artístico do conjunto.

A admissão pretende corrigir um déficit de anos na formação do grupo, hoje com substitutos improvisados e falta de melhores condições de trabalho. “A questão do concurso é prioritária. Conversei com o prefeito Geraldo Julio longamente sobre o assunto e tanto ele quanto a secretária (de Cultura) Leda Alves estão empenhados nisso”, garante.

O maestro avalia a abertura do edital como uma necessidade não só da orquestra, mas da própria cena musical do Recife. “Muita gente se forma aqui, mas acaba indo embora para outras cidades e estados por conta dos baixos salários e da falta de condições básicas”, diagnostica.

Marlos diz ter notícias de instrumentistas locais trabalhando fora que não escondem o desejo de voltar a Pernambuco para fazer o concurso e atuar no estado. “Aqui eles têm família, amigos. Muitos vão para fora e sentem falta desse acolhimento”.

A orquestra funciona, hoje, com 75 profissionais fixos – e, desde setembro, conta com o trabalho adicional de 15 músicos emprestados do Centro de Criatividade Musical de Pernambuco e do Conservatório Pernambucano de Música (eles têm idade entre 16 e 25 anos).

De acordo com o regente, a seção das cordas é a mais deficiente, principalmente os primeiros violinos. A percussão, além da falta de músicos, sofre com a carência de instrumentos. “Já estão sendo feitas licitações para comprar tímpanos, vibrafone, xilofone, campanas”, adianta Marlos.